« Anterior | Principal | Próximo »

Gana pedala magrelas de bambu

Categorias dos posts:

Eric Camara | 2011-02-02, 17:05

bamboo bike, ghana

Em Gana, andar de bicicleta não é decisão uma "verde" - é o jeito. Quer dizer, isso para quem pode arcar com o custo, já que a maioria anda a pé mesmo.

Agora, dois projetos no país querem mudar isso com uma ideia simples: bicicletas feitas de bambu. Neste ano, o Bamboo Bike Project e o Ghana Bamboo Bikes Initiative devem começar a produção das magrelas populares na cidade de Kumasi.

As bicicletas terão preços parecidos. O GBBI vendê-las por apenas US$ 55 (pouco mais de R$ 90) - mais barato que os modelos chineses à venda no país - com produção inicial de 800 unidades.

Em novembro do ano passado, o projeto foi premiado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) como uma das 30 ideias capazes de promover o desenvolvimento sustentável no mundo.


bamboo bike, ghana

Já o Bamboo Bike Project - uma parceria da universidade americana de Columbia e um grupo de dez ganenses - deve pôr as magrelas nas lojas por US$ 65.

O interessante é que as bicicletas comuns mais baratas, importadas da China, custam quase o dobro no país. Por que não aproveitar a mão-de-obra barata e o material ecologicamente correto (bambu cresce muito rápido) e abundante?

A fábrica do Bamboo Bike Project começou a ser montada em janeiro e em breve deve começar a montar dez bicicletas de cada vez.

Tecnologia e equipamentos são americanos, a mão-de-obra, local, e o financiamento também vem de organizações beneficentes, como é o caso do GBBI.

Os dois projetos também vão vender os quadros de bambu para entusiastas dos mercados europeu e americano, claro, a um preço bem mais salgado - entre US$ 1 mil e US$ 2 mil. Eles prometem reinvestir os lucros nas iniciativas.

Existem projetos semelhantes em outros países africanos, na Tailândia. Além disso, sei de experiências tanto na América do Norte quanto na Europa.

Não tenho conhecimento de algo parecido no Brasil. Um dos projetos me informou que estaria disposto a repassar a tecnologia para países pobres. Será que alguém se habilita no nosso país?

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 02:33 PM em 20 fev 2011, sergio escreveu:

    Eu acho que sim emplacaria.!!!

  • 2. às 04:47 PM em 21 fev 2011, ricardo escreveu:

    Maravilhosa!!!

  • 3. às 05:21 PM em 21 fev 2011, Khosrow Ghavami escreveu:

    Prezado Sr.

    Gostaria de informar que na PUC-Rio em ANOS 80 FORAM FABICADAS OS PRIMEIROS BAMBU BIKE. Infelizmente ainda os bikes nao estao comercializads na America Latina. Nos ja fabricamos Triciclo e carro do Bamu.
    Ver a pagina: www:abmtenc.civ.puc-rio.br

    Att.

    Dr. Khosrow Ghgavami,
    Prof. Titular,
    PUC-Rio

  • 4. às 06:02 PM em 21 fev 2011, Normando Perazzo Barbosa escreveu:

    Senhor
    Há má informação sobre a origem da bicicleta de bambu. Ela foi concebida na Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, pelos profs. Khosrow Ghavami e José Luiz Ripper, no final dos anos 80.
    O bambu como material de engenharia começou a ser estudado pelo primeiro pesquisador em 1979 e hoje o Brasil lidera o conhecimento e a pesquisa a nível de mestrado e doutorado sobre bambu e fibras vegetais, e na PUC já foi fabricado tri-ciclo de bambu e mesmo um carro pequeno. Seria interessante a BBC divulgar, e se houver interesse pode contatar ghavami@puc-rio.br.
    Sugerimos acesso à pagina da Associação Brasileira de Materiais e Tecnologias não Convencionais - ABMTENC www.abmtenc.civ.puc-rio.br.
    Neste ano o Congresso dessa associação vai ser realizado na China, em Hunan, a convite da universidade local.
    Atenciosamente
    Dr. Normando Perazzo
    Prof. Titular
    Universidade Federal da Paraíba

  • 5. às 06:11 PM em 21 fev 2011, Eric Camara Author Profile Page escreveu:

    Prezado professor Normando, obrigado por seu comentário e informações. Entrei em contato com o professor Ghavami, que também comentou no blog. Gostaria apenas de esclarecer que em momento algum o blog trata da origem da bicicleta de bambu. Concentrei-me apenas sobre alguns projetos atuais - com destaque para Gana. Não seria ótimo se o exemplo africano fosse seguido no Brasil e houvesse produção em média escala de bicicletas de bambu?

  • 6. às 05:10 PM em 23 fev 2011, Flavio Deslandes escreveu:

    www.flaviodeslandes.com (bicicletas de bambu por um brasileiro na Dinamarca)

    Bicicleta de bambu foi feita muito antes no Brasil, em 1995 na PUC-Rio e foi meu projeto de conclusão em Desenho Industrial em 1999.

    Em cerca de ano 2001 foi publicado um artigo na American Bamboo Society sobre um dos modelos que desenvolvi aqui na Dinamarca. A partir disso outros ficaram interessados e comecaram a fazer também.

    Estou indo ao Brasil construir neste inverno. Estou também procurando firmas interessadas em produzir essas bicicletas, sob a marca "Bambucicletas".

    Olhe o site www.flaviodeslandes.com para ler um pouco sobre essas bicicletas.

    Pagina no facebook: Bambucicletas

    atenciosamente,

    Flavio Deslandes
    Desenhista Industrial
    Copenhague - Dinamarca

  • 7. às 04:03 PM em 03 mar 2011, Eliana Peter Braz escreveu:

    Olá!

    Enviei o link dessa matéria a um grupo de ciclistas de minha cidade e me responderam que há um porto-alegrense que trabalha com bikes de bambu já há algum tempo: https://ecobamboobikes.blogspot.com/

    Muito bom saber dessas iniciativas no Brasil. Concordo que deveríamos seguir o exemplo de Gana e produzir meeeeesmo bikes "sustentáveis".

    Aguardo mais matérias sobre o assunto!!

    Abraço.
    Eliana

  • 8. às 02:33 AM em 30 mar 2011, Julio Cesar escreveu:

    Eu creio que de resina de bambu com resina de alto impacto, injetável internamente a estrutura de aluminio reciclado de seção retangular, seria muito barato, e estaria colaborando para as montain bike. Grato!

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.