Arquivo para 2010-12

Petrobras anuncia produção recorde em 2010

Joao Fellet | 16:03, quinta-feira, 30 dezembro 2010

A Petrobras anunciou que sua produção de petróleo anual bateu um recorde em 2010. Segundo a companhia, foram extraídos no ano cerca de 2 milhões e 3 mil barris por dia, número 1,6% superior à produção média diária de 2009.

A empresa diz que deve fechar dezembro com produção média mensal de 2 milhões e 120 mil barris por dia, o que seria a maior marca já registrada num mês.

A Petrobras atribui parte do aumento na produção ao início das operações, em dezembro, de cinco novos poços na bacia de Campos, que se estende do litoral do Espírito Santo até o norte do Rio de Janeiro.

Segundo a companhia, a inauguração dos poços somou 100 mil barris diários à produção da empresa no Brasil.

A Petrobras também afirmou que esforços de “revitalização” em campos maduros nas regiões Norte, Nordeste e no Espírito Santo estancaram o declínio da produção nessas áreas, que mantiveram média de 213 mil barris extraídos por dia durante 2010.

Lula bate recorde de popularidade, indica pesquisa

Mariana Della Barba | 19:41, quarta-feira, 29 dezembro 2010

Uma pesquisa do CNT/Sensus divulgada nesta quarta-feira que aponta que, nos seus últimos dias de governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva bateu recorde de popularidade: 87%.

A aprovação do governo – 83,4% - também foi a mais alta já registrada pelo instituto, que ouviu 2 mil entrevistados em 136 cidades, entre 23 e 27 de dezembro.

Na pesquisa anterior, realizada em setembro, Lula tinha 80,7% de popularidade e seu governo, 79,4%.

Antes disso, sua melhor avaliação havia sido registrada pelo Sensus em janeiro de 2009: 84%.

Na pesquisa divulgada nesta quarta-feira também foi avaliada a expectativa da população em relação ao governo da presidente eleita, Dilma Rousseff.

 Na opinião de 27,7% dos entrevistados, seu governo será “ótimo”. Já 41,5% acreditam que ela fará uma boa gestão e 17,6%, um governo “regular”. Para 6,4% dos ouvidos, ela será responsável por um governo “ruim” ou “péssimo” – 7% não responderam.

Lula confirma Gabrielli na Petrobras; campo do pré-sal recebe nome do presidente

Júlia Dias Carneiro | 17:15, quarta-feira, 29 dezembro 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou nesta quarta-feira que o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, continuará à frente da estatal durante o governo de Dilma Rousseff.

Antes do anúncio oficial por parte da futura presidente, Lula cumprimentou Gabrielli pela decisão de Dilma durante o lançamento da pedra fundamental para a construção de uma refinaria no Ceará.

Dilma e Gabrielli haviam se reunido na terça-feira em Brasília para uma conversa de duas horas na sede do governo de transição, no Centro Cultural do Banco do Brasil.

Também nesta quarta-feira, a Petrobras confirmou que um dos campos de petróleo do pré-sal na Bacia de Santos será batizado de Lula.

A área, até agora designada como Tupi, passará a se chamar “Campo de Lula”, conforme a declaração de comercialidade realizada pela empresa nesta quarta-feira. Já a área de Iracema receberá o nome de Campo de Cernambi.

Havia especulações de que o apelido do presidente poderia batizar um dos campos do pré-sal por causa da regulamentação da Agência Nacional de Petróleo (ANP) que determina que campos offshore recebam nomes de animais marinhos e campos terrestres, nomes de aves.

Com a declaração de comercialidade encaminhada à ANP, a Petrobras oficializa a estimativa de petróleo e gás existentes nos dois campos do pré-sal, com base em informações coletadas desde 2006, quando o primeiro poço da área foi perfurado.

O volume recuperável confirmado tem 300 milhões de barris a mais que as estimativas brutas anteriores, segundo as quais a área guardaria entre 5 e 8 bilhões de barris. Juntas, as duas reservas somam 8,3 bilhões de barris.

No Campo de Lula, o volume recuperável é de 6,5 bilhões de barris, e no de Cernambi, 1,8 bilhão. A área batizada com o nome do presidente se torna assim o primeiro campo “supergigante” de petróleo no país, designação para campos com mais de 5 bilhões de barris recuperáveis.

Lula diz que foi 'gostoso' governar o Brasil

Rafael Spuldar | 10:07, segunda-feira, 27 dezembro 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, na última participação em seu programa semanal de rádio, Café com o Presidente, que foi "gostoso demais" governar o Brasil e que vai "trabalhar até o último dia" de seu mandato.

"Eu quebrei um tabu, porque todo mundo dizia que era muito difícil governar o Brasil, que era difícil, que era complicado. Eu não achei nada complicado, achei até gostoso demais, provar que é possível fazer as coisas, provar que é possível fazer acontecer, provar que é possível permitir que o povo participe", disse Lula.

Lula afirmou que irá viajar a trabalho até o próximo dia 30 (quinta-feira). "É preciso que a gente trabalhe do primeiro ao último dia", disse o presidente, cujo mandato termina no dia 31.

Nesta semana, Lula tem marcadas em sua agenda passagens por Pernambuco, Ceará e Bahia, além de inaugurações previstas em Brasília.

"Até o dia 30 eu trabalho. No dia 31, eu paro para descansar, desligo o motor, deixo o motor esfriar para poder entregar o motor para a (presidente eleita) Dilma (Rousseff), com manutenção feita, tudo direitinho, para que ela possa começar, no dia 2 de janeiro, a 100 (km) por hora", disse Lula.

Em uma mensagem de Ano Novo, o presidente pediu apoio a Dilma, que toma posse no próximo dia 1º.

Segundo Lula, Dilma tem compromissos com as segundas etapas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e do programa Minha Casa, Minha Vida, além das áreas de segurança, saúde e combate à pobreza.

"Serão quatro anos de intensivo trabalho", afirmou o presidente.

Lula disse que o Brasil pode se tornar a quinta economia mundial "em quatro ou cinco anos" e que, para isto, vai precisar "de muita energia positiva".

"No frigir dos ovos, vivemos mais melhores momentos do que piores", disse o presidente sobre seu período na Presidência, iniciado em janeiro de 2003.

"Eu sou um homem (...) agradecido a Deus, que foi muito generoso comigo, me deu o que eu jamais imaginei ter, ou seja, a sorte de ser presidente deste país", afirmou Lula.

Lula se despede fazendo balanço de oito anos de governo

Rodrigo Durão Coelho | 21:19, quinta-feira, 23 dezembro 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou nesta quinta-feira seu último discurso à nação como presidente da República fazendo um balanço de seus oito anos de governo.

Em pronunciamento transmitido pela TV, Lula disse que, durante seus dois mandatos, entre outros avanços, foram criados 15 milhões de empregos, o salário mínimo teve ganho real de 67%, a oferta de crédito alcançou 48% do Produto Interno Bruto (PIB) e as reservas internacionais chegaram a quase US$ 300 bilhões, dez vezes mais do que quando assumiu o governo.

Além dos avanços econômicos, Lula citou também o aumento dos investimentos na educação e agricultura, progressos na oferta de moradias, no assentamento de famílias e programas que levam energia a pequenas propriedades.

Segundo o presidente, durante seus mandatos, o país passou pela “maior ascensão social de todos os tempos”.

O presidente se disse confiante de que o novo governo de Dilma Rousseff, que assume no dia 1º de janeiro, dará continuidade aos progressos.

“A minha maior felicidade é saber que vamos ampliar todas estas conquistas. Minha fé se alicerça em três fundamentos: as riquezas do Brasil, a força do seu povo e a competência da presidenta Dilma. Ela conhece, como ninguém, o que foi feito e como fazer mais e melhor”.

Lula encerrou o pronunciamento evitando revelar o que fará ao deixar o cargo.

“Não me perguntem sobre o meu futuro, porque vocês já me deram um grande presente. Perguntem, sim, pelo futuro do Brasil e acreditem nele. Minha felicidade estará sempre ligada à felicidade do meu povo”, disse o presidente.

Greve do setor aéreo é suspensa, mas voos sofrem atrasos

Paula Adamo Idoeta | 10:37, quinta-feira, 23 dezembro 2010

A greve dos funcionários do setor aéreo, prevista para começar nesta quinta-feira, foi suspensa após decisão da Justiça. Apesar disso, atrasos foram registrados nesta manhã em cerca de 30% dos voos domésticos e 20% dos internacionais.

A Justiça havia determinado, na noite de quarta, que 80% dos funcionários do setor se mantivessem em atividade, de forma a “viabilizar o transporte aéreo em todo o território nacional, entre 23 de dezembro de 2010 e 2 de janeiro de 2011”.

Em assembleia na manhã desta quinta-feira, os sindicatos que representam os aeronautas (pilotos, comissários e mecânicos de voo) e os aeroviários (que trabalham em terra, nos aeroportos) anunciaram a suspensão temporária da paralisação, em cumprimento à decisão judicial.

A assessoria de imprensa da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) disse à BBC Brasil que todos os funcionários do setor voltaram a trabalhar normalmente, mas agregou que vão questionar na Justiça as liminares proibindo sua paralisação.

Os trabalhadores reivindicam reajustes salariais, e as negociações a respeito do tema com as companhias aéreas terminaram em impasse.

Também na manhã desta quinta, a Infraero, estatal que administra aeroportos, calculava que 258 voos domésticos (30% do total) registravam atrasos superiores a 30 minutos. Outros 46 voos foram cancelados.

Entre os vôos internacionais, 13 (equivalentes a quase 20% do total) estavam atrasados e um foi cancelado.

As liminares proibindo a greve foram concedidas pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho, o ministro Milton de Moura França, que fixou uma multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento da ordem.

Leia mais sobre a a decisão da Justiça na BBC Brasil

Déficit nas contas externas do Brasil cresce 43% em novembro

Fabricia Peixoto | 12:05, terça-feira, 21 dezembro 2010

As transações do Brasil com o exterior, conta que inclui o comércio e o fluxo de capitais financeiros, tiveram um déficit de US$ 4,7 bilhões em novembro, valor 43% acima do registrado no mesmo mês do ano passado.

 

Considerando os últimos 12 meses, o rombo chega a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central.

 

Pelas estimativas da autoridade monetária, esse déficit deve ficar em US$ 64 bilhões em 2011 ou 2,87% do PIB.

 

Uma conta corrente negativa, como no caso brasileiro, é sinal de que o país está “se financiando” com capital estrangeiro, em vez de usar poupança interna.

 

Os economistas argumentam que o número não pode ficar “tão negativo”, já que esse capital pode simplesmente deixar o país. Já o governo tem defendido que ainda não há motivo de preocupação, pois grande parte da entrada de capitais está sendo aplicada em projetos de longo prazo.

 

A conta tem ficado negativa desde 2007, em função da expansão econômica do país – que passou a atrair mais capital estrangeiro, tanto para investimentos de longo prazo como para o mercado financeiro.

 

O déficit também se acentuou ao longo deste ano, como resultado da valorização do real frente ao dólar.

 

Com o câmbio valorizado, o Brasil tem aumentado de forma significativa suas importações, ao mesmo tempo em que as exportações são prejudicadas, reduzindo assim o saldo da balança comercial.

 

Os gastos de brasileiros com viagens ao exterior aparecem, mais uma vez, como um dos motivos do déficit em conta corrente em novembro. No mês passado, esses gastos somaram US$ 1,51 bilhão, valor 54% acima do registrado em novembro de 2009.

Proposta de orçamento prevê investimento 7,6% maior que o previsto

Fabricia Peixoto | 16:15, segunda-feira, 20 dezembro 2010

A proposta para o  Orçamento da União, que deverá ser votada nesta quarta-feira, prevê investimentos de R$ 171 bilhões em 2011, valor 7,6% maior do que o total previsto inicialmente pelo governo federal.
 
Trata-se da quantia disponível para obras públicas e outras melhorias que são implementadas pelo governo federal, incluindo todos os ministérios e empresas estatais.
 
Do total sugerido pela relatora Serys Slhessarenko (PT-MT), 62% seriam executados por empresas estatais e o restante diretamente pelo Executivo.
 
A senadora também sugere um sugere um salário mínimo de R$ 540, seguindo a recomendação da equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
 
O texto reserva ainda a quantia de R$ 1 bilhão, que poderá ser usada para pagamentos do Bolsa Família, caso o governo da presidente Dilma Rousseff decida fazer algum reajuste no benefício ao longo de 2011.
 
Serys baseou sua proposta em uma previsão de crescimento econômico de 5,5% para o ano que vem. Já a estimativa do mercado é menor: 4,5%.
 
O parecer final não inclui cortes efetivos de gastos, mas sim uma espécie de “sugestão” para que o governo reduza suas despesas em R$ 3 bilhões no próximo ano, “sem especificar as áreas atingidas”, segundo a Agência Câmara.
 
As despesas totais ficaram em R$ 2,07 trilhões, com o mesmo valor previsto para as receitas. Como a rolagem da dívida deverá consumir R$ 678,5 bilhões, o montante destinado para manutenção da máquina e investimentos ficou em R$ 1,39 trilhão.
 
O parecer deverá ser avaliado até quarta-feira pela Comissão Mista de Orçamento e no mesmo dia poderá ser encaminhado para votação em plenário.

Desemprego cai em novembro para 5,7%, menor taxa desde 2002

Fabricia Peixoto | 10:33, sexta-feira, 17 dezembro 2010

O desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do país fechou o mês de novembro em 5,7% - a menor taxa desde 2002, quando a pesquisa começou a ser realizada pelo IBGE.
 
É o segundo mês seguido de recorde nesse indicador, que em outubro havia ficado em 6,1%, até então o melhor resultado.
 
Na comparação com novembro do ano passado, a melhoria foi expressiva, já que naquele mês o país registrou desemprego de 7,4%.
 
Em Foz do Iguaçu, onde participa da Cúpula do Mercosul, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não esperava “estar vivo” para ver o desemprego chegar a esse nível no Brasil.
 
“Há dez anos, a gente imaginava que isso aconteceria na Austrália, na Alemanha, na França, nos Estados Unidos e agora está acontecendo aqui pelas bandas do Mercosul", disse o presidente.
 
A região com melhor desempenho no mês, segundo o IBGE, foi a de Porto Alegre, onde o número de desocupados ficou em 3,7% da população economicamente ativa.
 
Na outra ponta está a região metropolitana de Salvador, que registrou uma taxa de desemprego de 9,4% no mês passado.
 
Já o rendimento médio real dos ocupados ficou em R$ 1.516,70, com crescimento de 9,6% sobre o valor registrado em novembro de 2009.

Combate à pobreza é o tema mais bem avaliado do governo Lula, diz pesquisa

Fabricia Peixoto | 17:16, quinta-feira, 16 dezembro 2010

Uma pesquisa realizada pelo Ibope e divulgada nesta quinta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta o combate à pobreza como o tema mais bem avaliado do governo Luiz Inácio Lula da Silva, com 71% de aprovação.
 
Os entrevistados também avaliaram de forma positiva o combate ao desemprego (66%) e a política ambiental do atual governo (60%).
 
Já os temas com desempenho mais negativo são a saúde, desaprovada por mais da metade dos entrevistados (54%) e os impostos, com 39%.
 
A pesquisa, realizada entre os dias 4 e 7 de dezembro com 2002 pessoas em 140 municípios, mostra ainda o presidente Lula com recorde de aprovação neste final de mandato: 87% dos entrevistados consideram seu desempenho “bom ou ótimo”.
 
Já a presidente eleita, Dilma Rousseff, que está a menos de um mês de tomar posse, deverá fazer um “bom ou ótimo governo”, segundo 62% dos entrevistados.
 
Além disso, 18% disseram acreditar que o governo Dilma será melhor que o de Lula, enquanto outros 58% afirmaram que ela terá um desempenho igual e 14% esperam uma gestão pior.

Número de empregos criados em novembro cai para 138 mil

Caio Quero | 14:10, quinta-feira, 16 dezembro 2010

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério do Trabalho apontam que foram criados 138 mil empregos formais no mês de novembro, número 55% menor que o registrado no mesmo mês do ano passado.

O resultado também está aquém das expectativas do governo, que chegou a prever um saldo de 200 mil novas vagas no mês.

Na avaliação do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o mês de novembro de 2009 foi “um ponto fora da curva” e não deve servir como parâmetro.

“Tivemos, no ano passado, um primeiro semestre fraco. Atipicamente, houve mais contratações em novembro de 2009”, disse o ministro, referindo-se a um período de adaptação após a crise financeira internacional.

“Sem crise, com todos os anos normais, estamos nessa linha (do mês passado)”, acrescentou o ministro, negando ainda que o país esteja passando por um processo de desaceleração da economia.

De janeiro a novembro, foram geradas 2,54 milhões de vagas com carteira assinada, volume recorde desde o início da série histórica, em 1992.

Partos por adolescentes têm queda de 21,5%, diz estudo

Joao Fellet | 15:05, terça-feira, 14 dezembro 2010

Um estudo do Ministério da Saúde revela que o número de partos por mulheres brasileiras dos 15 aos 19 anos de idade caiu 21,5% entre 2000 e 2008.

A pesquisa, intitulada Saúde Brasil 2009 e publicada anualmente pela Secretaria de Vigilância em Saúde, indica que houve queda de cerca de 10% no total de nascimentos ocorridos no Brasil no período.

Os grupos etários de 15 a 19 anos e de 20 a 24 concentram 93% da queda. Ainda assim, um quinto do total de partos registrados em 2007 foi de mães com idades entre 15 e 19 anos.

As regiões Norte e Nordeste são as que tiveram o maior número de partos entre mulheres mais jovens.

O total de nascimentos do Brasil passou de 3,2 milhões em 2000 para 2,9 milhões em 2008. A redução no número de partos só não ocorreu no Norte do país, mas o fato pode ser atribuído à melhoria do sistema de registros de nascimentos na região, segundo o Ministério da Saúde.

O estudo revela ainda progressos nas áreas de desnutrição infantil: entre 1989 e 2006, a proporção de crianças menores de cinco anos com baixo peso para a idade caiu de 7,1% para 1,8% e, com baixa altura, de 19,6% para 6,8%.

Também houve queda (de 56%) nas mortes maternas por complicações na gravidez e no parto entre 1990 e 2007.

Segundo a pesquisa, o risco de mortes por causas externas entre os homens foi 5 vezes maior do que entre as mulheres.

As principais causas de morte violenta para os homens foram as agressões (40,6%) e acidentes de trânsito (26,9%). A maioria dos mortos do sexo masculino estava na faixa dos 20 aos 39 anos (50,4%) e era de cor parda (48,1%).

As causas externas (acidentes e violências) representaram 12% do total de mortes ocorridas no Brasil em 2008.

Amorim confirma convite para que Patriota assuma Itamaraty

Fabricia Peixoto | 20:33, sexta-feira, 10 dezembro 2010

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse nesta sexta-feira que ficou “muito satisfeito” com a indicação de Antônio Patriota como seu substituto no Itamaraty, confirmando, assim, o convite da presidente eleita, Dilma Rousseff.

Aos 56 anos, Patriota é formado em Filosofia pela Universidade de Genebra e há 32 anos integra o quadro do Itamaraty. Atualmente exerce o cargo de secretário-geral do ministério, principal cargo depois do chanceler.

Segundo Amorim, a presidente eleita teve a “delicadeza” de telefoná-lo para avisar do convite a Patriota. “Guardei para mim a notícia até ele ser convidado”, disse o ministro, após receber homenagem na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) por seu trabalho nos últimos anos.

O ministro também elogiou a política externa do governo Lula que, segundo ele, “agora é reconhecida nas ruas”

Um dos poucos ministros que se mantiveram no cargo ao longo dos oito anos do governo Lula, Amorim – que é filiado ao PT – ainda não anunciou seu futuro político.

Questionado sobre o assunto na semana passada, o ministro falou de um convite para lecionar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas que ainda não havia tomado nenhuma decisão.

IBGE revisa para baixo PIB de 2009

Fabricia Peixoto | 10:59, quinta-feira, 9 dezembro 2010

O desempenho da economia brasileira no ano passado foi um pouco pior do que o inicialmente divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a revisão anunciada nesta quinta-feira, o Produto Interno Bruto (PIB) do país encolheu 0,6% em 2009 – e não 0,2% como anunciado no início do ano.

Consequência da crise financeira internacional, a retração de 2009 foi a primeira dos últimos 17 anos.

Dentre os setores, a indústria sofreu a maior alteração. O recuo da atividade foi de 6,4% na comparação com 2008. Antes da revisão, o número estava negativo em 5,5%.

As revisões mais abrangentes das contas nacionais são consideradas normais e costumam ser divulgadas junto com o PIB do 3º trimestre.

Os resultados do 1º e 2º trimestres deste ano também foram recalculados. Segundo o IBGE, o Brasil cresceu 9,3% de janeiro a março deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, e não 9,0%.

O PIB do 2º trimestre também ficou ligeiramente maior. Com a revisão, passou de 8,8% para 9,2%.

Copom mantém taxa de juros em 10,75%

Joao Fellet | 21:06, quarta-feira, 8 dezembro 2010

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira a manutenção da taxa básica de juros (Selic) em 10,75% ao ano.

A decisão, unânime, foi tomada na última reunião do comitê comandada pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que será substituído por Alexandre Tombini.

Também foi a última reunião ocorrida no governo Lula, já que a próxima só ocorre em janeiro.

Em comunicado ao fim do encontro, o Copom disse que a decisão levava em conta “um cenário prospectivo menos favorável do que o observado na última reunião (em 20 de outubro)” e medidas recentes adotadas pelo Banco Central.

Na semana passada, o banco anunciou a retirada de R$ 61 bilhões da economia, medida que pressionou para cima os juros bancários.

“Nesse sentido, o Comitê entendeu não ser oportuno reavaliar a estratégia de política monetária nesta reunião e irá acompanhar atentamente a evolução do cenário macroeconômico até sua próxima reunião, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária", diz o informe do Copom.

Com a manutenção, já esperada pelo mercado, a Selic permanece no mesmo patamar desde julho. A taxa é usada como base para os juros cobrados por bancos em empréstimos.

Foz do Iguaçu é cidade mais violenta para jovens pelo segundo ano

Fabricia Peixoto | 11:30, quarta-feira, 8 dezembro 2010

A cidade de Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná, ficou pelo segundo ano seguido no topo da lista das localidades onde os adolescentes têm a maior probabilidade de ser assassinados, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira.
 
O levantamento foi realizado pelo Laboratório de Análise da Violência da Uerj, com apoio da Secretaria de Direitos Humanos, em parceria com o Unicef.
 
O Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) expressa o número de adolescentes que, tendo chegado à idade de 12 anos, não alcançará os 19 anos porque terá sido vítima de homicídio.
 
Em Foz do Iguaçu, esse índice é de 11,8 para cada mil habitantes, com base em dados de 2007. Houve, portanto, uma piora em relação ao levantamento do ano passado (referente a 2006), quando o IHA da cidade paranaense havia ficado em 9,7.
 
A lista das cidades mais violentas para um adolescente segue com Cariacica (ES), Olinda (PE), Recife (PE), Maceió (AL), Itaboraí (RJ) e Vila Velha (ES).
 
Como o estudo ainda está em sua segunda edição, os pesquisadores ponderam que ainda é cedo para identificar qualquer tendência. Feita a ressalva, é possível observar que houve uma piora no IHA médio do país, que saiu de 2,51 para 2,67, um aumento de 6%.
 
Ainda de acordo com o levantamento, que pesquisou 266 municípios, estima-se que o número de adolescentes assassinados entre 2007 e 2013 chegue a quase 33 mil, caso as condições que prevalesciam nessas cidades, em 2007, não mudem.

Novembro tem maior inflação em mais de 5 anos

Rafael Spuldar | 10:13, quarta-feira, 8 dezembro 2010

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – inflação oficial utilizada pelo governo - fechou novembro em 0,83%, a maior taxa mensal desde abril de 2005, quando foi de 0,87%.

Em outubro, o índice ficou em 0,75%. O IPCA de novembro foi maior do que o dobro do registrado em novembro do ano passado, quando fechou em 0,41%, segundo informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o IBGE, no acumulado do ano, o índice está em 5,25%, acima do centro da meta do governo para 2010, que é de 4,5%.

O acumulado do ano também é maior do que o registrado no mesmo período de 2009, quando ficou em 3,93%, levando-se em conta o período que vai de janeiro a novembro.

Nos últimos 12 meses, o índice foi de 5,63%, também acima dos 5,2% registrados entre outubro deste ano e novembro de 2009.

Assim como no mês anterior, os alimentos e as bebidas tiveram a alta mais intensa em novembro, passando de 1,89% para 2,22%. Isso representa 0,51 ponto percentual, ou 61% do IPCA do mês.

Fortaleza, com 1,55%, foi a região metropolitana com a maior inflação em novembro, enquanto São Paulo teve a menor alta de preços pelo índice do IBGE (0,62%).

Lula diz que vetará proposta sobre royalties do petróleo

Júlia Dias Carneiro | 15:07, terça-feira, 7 dezembro 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que vai vetar a proposta de divisão dos royalties do petróleo aprovada por deputados no último dia 1º.

No Rio de Janeiro, o presidente disse que vai reenviar ao Congresso Nacional a medida provisória original sobre o tema, segundo a qual haverá redistribuição dos royalties apenas para campos do pré-sal ainda não licitados.

“Eu pretendo, ao receber a proposta do Congresso, vetar e colocar a medida provisória que foi a razão do acordo para que eles votem, no próximo ano, no Congresso Nacional”, declarou a jornalistas no Palácio da Cidade, após a cerimônia de lançamento do projeto municipal Família Carioca. 

De acordo com o presidente, a camada de petróleo no pré-sal tem “recursos suficientes” para garantir que os Estados produtores como Rio, São Paulo e Espírito Santo não tenham prejuízo “e os outros Estados possam ganhar uma fatia muito grande”.

Aprovado na Câmara dos Deputados na semana passada, o projeto de lei do senador Pedro Simon (PMDB-RS) prevê a distribuição dos recursos da produção de petróleo entre todos os Estados e municípios do país, e determina que a União compense os Estados produtores por suas perdas, que somente no Rio são estimadas em R$ 7 bilhões ao ano.

O presidente disse ainda que os investimentos nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não serão afetados pelo ajuste fiscal previsto para 2011, como afirmara na véspera o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Se cortes forem necessários, serão no custeio, e não nas obras, afirmou Lula.

“Pelo que conheço da presidenta (Dilma Rousseff), tenho certeza de que não será cortado. O PAC, para nós, é como o oxigênio que a gente respira. Estou muito tranquilo em relação a isso”, disse a jornalistas na saída do evento.

Senado aprova Tombini para presidência do Banco Central

Fabricia Peixoto | 13:40, terça-feira, 7 dezembro 2010

Depois de mais de três horas de sabatina, o diretor de normas do Banco Central, Alexandre Tombini, foi aprovado nesta terça-feira, pelo Senado, como novo presidente da autarquia.

Tombini foi escolhido pela presidente eleita, Dilma Rousseff, para substituir Henrique Meirelles, que comanda a autoridade monetária desde o primeiro dia do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Dos 23 senadores presentes à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, 22 votaram a favor da indicação e apenas um contra.

Ao responder aos questionamentos dos parlamentares, Tombini reiterou o compromisso do BC com uma “inflação baixa” e que essa foi a condição “exigida” por Dilma ao convidá-lo para o posto.

O futuro presidente do Banco Central também disse que recebeu “autonomia plena” da presidente eleita, em uma tentativa de desfazer a impressão de alguns economistas que preveem um Banco Central menos autônomo nos próximos anos, ou seja, mais vulnerável a interferências políticas.

Funcionário de carreira do Banco Central há 15 anos, Tombini esteve também no Fundo Monetário Internacional, onde trabalhou de 2001 a 2005. Desde 2006 é diretor de normas do BC.

Complexo do Alemão recebe reforço de mais 250 PMs

Rafael Spuldar | 13:40, segunda-feira, 6 dezembro 2010

O complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, começou a receber nesta segunda-feira os 250 integrantes do Batalhão de Campanha da Polícia Militar (PM).

Eles ficarão responsáveis por vasculhar casas e locais que possam esconder armas e drogas no Alemão. De acordo com a PM, o batalhão vai operar "pontual e estrategicamente" dentro da comunidade.

Os policiais, provenientes de diferentes batalhões, serão comandados pelo coronel Edvaldo Camilo. Os integrantes do Batalhão de Campanha se dirigirão para o Complexo em diferentes grupos ao longo do dia, segundo informa a Agência Brasil.

O Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) continua ocupando o Alemão e a Vila Cruzeiro, depois de operações realizadas no fim de novembro. Já integrantes do Exército fazem o patrulhamento do entorno e dos acessos às comunidades.

No domingo, o Exército ocupou pontos estratégicos da Avenida Brasil - principal ligação da zona oeste do Rio com as zonas norte e central - para garantir o transporte de suprimentos para os militares que estão no Complexo do Alemão.

Um dia antes, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou a permanência das Forças Armadas por tempo indefinido nas favelas do Alemão e da Penha.

Para conter crédito e inflação, BC eleva compulsório bancário

Paula Adamo Idoeta | 10:37, sexta-feira, 3 dezembro 2010

O Banco Central anunciou nesta sexta-feira o aumento do compulsório bancário sobre depósitos à vista e a prazo e mudanças que, segundo comunicado da instituição, causarão a retirada de R$ 61 bilhões da economia.

O compulsório bancário é a quantia que os bancos são obrigados a depositar no BC. Sua elevação reduz a oferta de crédito para os clientes dos bancos, controlando, dessa forma, a pressão inflacionária.

A exigência de capital para as operações de crédito para pessoas físicas também aumentou, com a elevação de 100% para 150% do Fator de Ponderação de Risco (o que força os bancos a aumentarem em 5,5 pontos percentuais sua reserva para garantir cada crédito fornecido).

O CMN estabeleceu também um “cronograma de redução gradual do volume de depósitos que bancos podem emitir com a garantia especial concedida pelo Fundo Garantidor de Crédito”. A redução começará em janeiro de 2012, ao ritmo de 20% ao ano, e será concluída em 2016.

Segundo anúncio feito pelo BC e pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), o objetivo é “permitir a continuidade do desenvolvimento sustentável do mercado de crédito e dar prosseguimento à retirada gradual dos incentivos introduzidos para mitigar os efeitos da crise financeira de 2008”.

As medidas devem entrar em vigor a partir da próxima segunda-feira.

Cabral diz "confiar" que Lula vai vetar mudança no modelo de exploração do pré-sal

Paula Adamo Idoeta | 14:25, quinta-feira, 2 dezembro 2010

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), disse nesta quinta-feira em Buenos Aires que “confia” que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai vetar o projeto que muda o modelo de exploração do pré-sal.

O novo sistema de partilha na produção de petróleo, que visa aumentar o controle da União sobre os recursos do pré-sal e dividir seus royalties não apenas entre Estados produtores, foi aprovado na última madrugada na Câmara dos Deputados e vai para sanção de Lula.

Estados produtores, como Rio e Espírito Santo, se beneficiam do modelo atual, que lhes garante a maior parte dos royalties.

A Câmara aprovou também a criação de um fundo social para abrigar os recursos obtidos na produção petrolífera e ser aplicado em projetos de educação e saúde, por exemplo.

Cabral disse nesta sexta-feira que a emenda aprovada é um “desrespeito completo”.
 “Lula já garantiu que vai vetar, e eu confio no presidente”, declarou.

“Vamos redesenhar os percentuais dos royalties de maneira que todos os Estados recebam, mas que o percentual do Rio aumente de tal forma que compense a perda na Participação Especial”, agregou o governador.

* Com reportagem de Márcia Carmo, de Buenos Aires para a BBC Brasil

Após dois meses, produção industrial volta a crescer em outubro

Paula Adamo Idoeta | 10:39, quinta-feira, 2 dezembro 2010

A produção industrial brasileira cresceu 0,4% em outubro na comparação com o mês anterior, após dois meses de estagnação, aponta levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgado nesta quinta-feira.

No acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial cresceu 11,8%, “mantendo a trajetória ascendente iniciada em outubro do ano passado e alcançando a taxa mais elevada da série histórica”, segundo o IBGE.

Já em relação a outubro de 2009, o avanço foi de 2,1% - ritmo reduzido frente a resultados anteriores.

Bens duráveis

O crescimento de outubro de 2010 foi puxado pelos bens de consumo duráveis, única categoria de uso a crescer em relação a setembro.

Entre os 12 ramos de atividade industrial pesquisados, os que mais contribuíram para o crescimento foram o farmacêutico, o de produtos químicos e o de veículos automotores.

Já os setores que mais tiveram recuo no mês foram os de edição e impressão, alimentos e indústrias extrativas.

O IBGE conclui que o aumento em outubro foi positivo, “mas atingiu apenas uma das quatro categorias de uso (bens de consumo duráveis) e 12 dos 27 setores industriais”.

“Nas comparações com 2009, permanece o predomínio de resultados positivos, porém decrescentes”, refletindo comportamento “mais moderado” da indústria, diz comunicado do instituto.

Dilma nega que já tenha escolhido ministro da Saúde

Mariana Della Barba | 21:13, quarta-feira, 1 dezembro 2010

A presidenta eleita, Dilma Roussef, disse nesta quarta-feira  que ainda não escolheu o próximo ministro da Saúde, que substituirá José Gomes Temporão.

Na véspera , o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, havia dito que seu secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, teria sido convidado para assumir a pasta.

De acordo com a Agência Brasil, o deputado federal José Eduardo Cardozo (PT-SP), um dos coordenadores da transição, reiterou a observação de Dilma. "Ela apenas comentou que vai escolher uma pessoa com extrema capacidade no desempenho da função”, disse. 

Segundo Cardozo, Dilma também disse que não tem a intenção de retomar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Ela fez duas observações: há subfinanciamento na saúde, mas também há subgestão. O primeiro passo de seu governo será atuar na subgestão.”

De acordo com o deputado, a questão do subfinanciamento não passa necessariamente pela volta da CPMF ou pela criação de novos tributos.

Expectativa de vida ao nascer chega a 73,17 anos

Rodrigo Durão Coelho | 12:39, quarta-feira, 1 dezembro 2010

A expectativa de vida no Brasil ao nascer chegou aos 73,17 anos em 2009, segundo informou o IBGE nesta quarta-feira.

O resultado significa aumento de 3 meses e 22 dias em relação a 2008 e, desde 1980, alta de 10 anos, sete meses e seis dias.

O aumento médio anual na expectativa de vida brasileira é de 4 meses e 12 dias, de acordo com o órgão e pode chegar a 81,29 anos em 2050.

Em termos de mortalidade infantil, o índice caiu de 69,12 óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos, em 1980, para 22,47 óbitos em 2009.

Entre os fatores apontados pelo IBGE para a redução na mortalidade infantil estão os programas de vacinação em massa, o incentivo ao aleitamento materno, o acompanhamento de gestantes e recém-nascidos, além da relativa expansão do saneamento básico.

Apesar do avanço, a taxa de mortalidade infantil brasileira( de 22, 4) ainda é maior do que a de países como Venezuela (17), Colômbia (19,1) e El Salvador (21,5).

Mais conteúdo deste blog...

Post deste blog de acordo com o tema

Categorias

Estes são alguns dos temas mais populares cobertos por este blog.

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.