« Anterior | Principal | Próximo »

Uma semana de Obama

Categorias dos posts:

Rogério Simões | 2009-01-29, 10:09

obamapresidente1.jpgDe que serve uma semana? Muitas vezes, ela passa voando, e tem-se a impressão de que não foi possível fazer nada. Mas há quem acredite que sete dias foram suficientes para se criar o mundo... E o presidente Barack Obama? O que conseguiu fazer em sua primeira semana na Casa Branca?

Primeiro, a posse de Obama foi repleta de imagens memoráveis. Os milhões nas ruas de Washington, Aretha Franklin cantando, Obama gaguejando no juramento, músicos clássicos tocando sobre um play back. E um discurso presidencial que deveria ter comovido até os mais céticos, mas deixou muitos se perguntando o que exatamente Obama queria dizer com o que disse. Diante daquele 20 de janeiro de 2009, que já havia entrado para a história mesmo antes de ter acontecido, o mundo só queria saber agora como seria o novo governo Obama. Havia chegado a hora da verdade.

Quem esperava por uma mudança clara de rumo não se decepcionou. Nos seus primeiros oito dias de expediente no Salão Oval, Obama interrompeu os julgamentos na prisão de Guantánamo, anunciou seu fechamento definitivo em até um ano, suspendeu a proibição de ajuda a entidades que apoiem o aborto, introduzida por George W. Bush, mudou várias políticas de Bush na área ambiental (sob aplausos de ambientalistas e do governador californiano, Arnold Schwarzenegger), enviou ao Oriente Médio seu representante para a região, deu uma entrevista a uma TV árabe para dizer que os Estados Unidos não são inimigos do mundo islâmico e conseguiu aprovar na Câmara um pacote de ajuda econômica de mais de US$ 800 bilhões. Ah, Obama ainda teve tempo de ligar para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e elogiar o trabalho do Brasil na área de biocombustíveis. Ufa.

Se a expectativa em torno do novo presidente americano já era grande, após uma semana repleta de ações de destaque ela deverá crescer ainda mais. Fim do embargo econômico a Cuba, normalização das relações com o Irã, paz definitiva entre Israel e palestinos, saída rápida para a maior crise econômica desde a Segunda Guerra Mundial, redução da emissão de gases poluentes, pacificação definitiva do Iraque e do Afeganistão... Os mais otimistas acham que Obama dará ao mundo tudo isso e muito mais. Sua inicial contribuição, entretanto, não foram as medidas, mas a sensação de que na Casa Branca existe hoje alguém claramente tomando decisões, trabalhando.

Pode-se esperar que as próximas semanas não repetirão a dose, especialmente diante dos entraves que costumam surgir na vida de qualquer governante e cuja superação não depende necessariamente dele. No Oriente Médio, o comportamento do governo americano tem enorme peso, mas o futuro próximo das relações entre Israel e palestinos depende muito mais das eleições israelenses, daqui a poucos dias. A economia ainda dará muito trabalho a Barack Obama, e combater o aquecimento global é uma tarefa muito mais difícil do que a sedutora fala do presidente americano muitas vezes dá a entender.

De qualquer forma, o mundo já vê uma grande diferença entre a nova gestão e o governo Bush, desacreditado e pouco operante em seus últimos meses e indeciso e dividido em boa parte de seus oito anos. A sensação que fica após uma semana é a de um governo com sede de realizações. Sabe-se, entretanto, que tal ritmo dificilmente será mantido. Apenas no longo prazo será possível avaliar o verdadeiro impacto de Barack Obama e seu prometido governo de mudança.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 01:10 PM em 29 jan 2009, Alessandro Cavalcante escreveu:

    Que ele represente a mudança que o mundo necessita. Todavia não depende somente dele, outros países como Iran, Venezuela, Russia devem buscar o dialogo.
    Os EUA foram o maior prejudicado com esse guerra no Iraque e cadê o Bin Laden?
    Está mais que na hora de mudar e tentar novas alternativas.
    Aqui no Brasil também temos de fazer a nossa parte e exigir de nossos politicos respeito com a população, mais educação, melhor distribuição de renda etc. Sabemos disto e temos de buscar essa pressão, de outro modo continuaremos sendo o país do futuro.

  • 2. às 12:26 AM em 30 jan 2009, Roberto Jorge Ramalho Cavalcanti escreveu:

    O presidente dos EUA já começou bem. Fechou a prisão de Guantanamo(até um ano);suspendeu aproibiçaõ de ajuda as entidades pró-aborto;mudou algumas políticas na área ambiental;enviou ao oriente médio um experinte político para mediar o conflito entre israelenses e palestinos;deu uma entrevista a uma TV árabe dizendo que não é inimigo do povo islâmico; e conseguiu a aprovação do pacote de mais de U$$800 bilhões de dólares, faltando agora ele ser aprovado em definitivo pelo Senado. Está de parabéns, Barack Obama.Que Deusesteja do seu lado.

  • 3. às 10:10 PM em 30 jan 2009, Hendrik escreveu:

    Uma coisa é certa: pior que Bush, é difícil.

  • 4. às 12:26 AM em 31 jan 2009, paula escreveu:

    Isto é que é governar com planejamento!
    Viva Obama!

  • 5. às 12:06 PM em 31 jan 2009, andre escreveu:

    O texto bem retrata o sentimento comum de toda a humanidade, em relação às expectativas de mudanças e realizações do governo Obama. Quanto à atuação do presidente, a série de medidas tomadas em uma semana não chega a surpreender, tamanho o atraso imposto pelo governo Bush. Certo, porém, é que a nação mais poderosa do planeta parece, agora, contar com um governante à altura de sua importância no cenário mundial. Yes, they can!

  • 6. às 05:50 PM em 01 fev 2009, tatiane escreveu:

    O novo presidente dos Estados Unidos tem o que faltava na administração anterior: vontade, abertura e disponibilidade pra mudar. Obama sabe da responsabilidade que tem e está aproveitando ao máximo seu tempo pra minimizar os problemas da crise que se desencadeou em seu país. Não acredito que ele vá dar conta de tudo o que precisa ser feito, mas acredito que ele poderá ser o preseidente mais bem sucedido dos últimos tempos. Líderes têm que despertar confiança e esperança de dias melhores e nisso Obama é bom!

    Vamo lá Obama, YES YOU CAN!!!

  • 7. às 09:10 PM em 01 fev 2009, Aldecy Brasileiro escreveu:

    Obama sem dúvida deu um novo fôlego à luta por dias melhores. Dias de reconquistar valores morais e posições importantes perdidas por causa de decisões particulares e impensadas de quem até a pouco tempo estava a frente da base econômica e política mundial. Lógico que sozinho nada poderá fazer. Mas seu caráter e lisura até então demonstrados não só teoricamente, criam novas e concretas expectativas na ânsia de tempos brandos existentes apenas na lembrança.

  • 8. às 09:41 AM em 03 fev 2009, Pr Julio Soder escreveu:

    Quanta tietagem!
    Chega a ser patético!

  • 9. às 09:36 AM em 05 fev 2009, B. Ferraz escreveu:

    Nunca encontrei num comentário pessimista ou numa crítica destrutiva, a capacidade de agregar sucessos ou mudancas positivas. Essa capacidade sempre cabe às palavras dos entusiastas e visionários.
    Um homem com um bom discurso pode motivar melhorias, assim como tragédias e genocídios.
    Aqueles dos genocídios mundo afora sempre receberam seu apoio. O atual presidente dos EUA tem seu bom discurso e, portanto, seu direito a apoio. Se vira moda apoiar, passa a ser ridículo? Ou melhor, patético?
    Nao.
    Patético é achar tudo patético e continuar sentado falando mal dos que se levantam e se mexem.

    Eu apoio as boas acoes do governo Obama. Se aprovarem protecionismos comerciais, por exemplo, comeco a deixar de apoiar.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.