« Anterior | Principal | Próximo »

Violência mapeada… e alta

Categorias dos posts:

Edson Porto | 2008-01-29, 18:58

Nesta terça, o novo relatório da Rede de Informação Tecnológica Latino-Americana (Ritla) mostrou como a violência está distribuída e – principalmente – concentrada no país. Segundo os dados apresentados pela Ritla, 10% dos municípios do país concentram a maioria dos homicídios (73,3%).

O documento atualiza os dados que haviam sido apresentados no ano passado. O relatório de 2007 se baseava em dados coletados até 2004. O lançado nesta semana inclui dados até 2006.

Esse trabalho faz parte de um crescente detalhamento da violência no Brasil, o que é um dado positivo. A informação é um dos instrumentos fundamentais para combatê-la.

Ao menos em parte, a recente queda do número de homicídios em cidades como São Paulo tem sido atribuída ao uso de informação por parte da polícia para prevenir crimes.

A informação também ajuda o governo e a sociedade, inclusive organizações não-governamentais e grupos organizados da sociedade civil, a buscar soluções.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, que recolhe dados sobre violência em 115 países, o Brasil tem uma qualidade média de informação sobre a causa de mortes que é comparável a dados da Europa. Mas muitos países do mundo não mantêm dados confiáveis.

Por conta dessa falta de informação é sempre difícil e perigoso fazer comparações. O que não é muito arriscado dizer é que, apesar da redução do número de homicídios no Brasil nos últimos três anos, o número de mortes ainda é simplesmente inacreditável.

Em 2006, sempre de acordo com os dados apresentados pela Ritla e baseados em dados oficiais do Datasus, foram mortas 46.660 pessoas no país – os dados de 2003 indicavam mais de 51 mil mortos.

O Brasil tem a quinta maior população do mundo, mas mesmo assim esse número de mortes para um país que não está em guerra aberta continua sendo difícil de conceber e compreender. A esperança é que mais informação leve a ações que ajudem a mudar essa realidade.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 09:15 AM em 30 jan 2008, Alessandro Cavalcante escreveu:

    Esses dados servem para analisarmos a relação do desenvolvimento de algumas cidades no interior do Brasil com as grandes metropoles,estas já estagnadas. Enquanto as autoridades continuarem miopes ignorando a educação neste país e a péssima distribuição de renda, este país estará condenado. Quem perde somos todos nós; em turismo e em investimos externos dentre outros. Gostaria mesmo que esses dados fossem levado adiante e as autoridades tomassem alguma medida, algum projeto para daqui a alguns anos esses indices estarem reduzidos.

  • 2. às 04:54 PM em 02 fev 2008, giberto escreveu:

    Acredito que o que realmente diminuiu a violência e criminalidade, foi a MP do jogo,
    Pois no eu vejo em meu cotidiano e o grande estopim da corrupção e criminalidade,
    Já que o mesmo utilizam o Merchant de casas de prostituição, pontos de vendas de bebidas e drogas, casas noturnas, movimentam um turismo informal e assim abstendo-se da credibilidade dos meios de transportes alternativos, e ao redor ergue-se um grande esquema de proteção usando os sistemas de segurança corrompido-os, assim com filosofias alcaponicas, se formam um grande clam de corrupção, com troca de favores, em pro do dinheiro fácil e sujo, sujeito assim à formação de grupos de extermínio, como forma de provocar o medo e se eliminar aqueles que contrapõem a supremacia de seus comércios, a máfia da imprensa suja com suas propagandas pro jogo e, a máfia da investigação podre, formando assim a máfia das intrigas políticas, a máfia da propaganda eleitoral a máfia do desvio de dinheiro publico, e assim a máfia da segurança particular, a máfia da desmoralização social do individuo,mafia das igrejas , a máfia do recrutamento do adolescente no tráfico, máfia das funerárias, a máfia dos transplantes de órgãos.A máfia do IML, a máfia da degradação institucional da segurança pública, a formação de milícias facilitando o trafico de drogas e a contravenção, a máfia da venda de armas, a máfia do comercio, a máfia dos seqüestros e roubos, a máfia dos bancos com retenção de contas milionárias dos chefes dos esquemas, a máfia industrial, e por ai vai, tudo como um ciclo vicioso em pro do jogo e do dinheiro fácil.E privilégios dos esquemas de corrupção.A máfia das liminares jogando os bacharéis de alto escalão na lama; Acredito que uma das soluções para isto e a criação de outras policias como forma de fiscalização e descentralização de poderes, vejo, por exemplo, hoje uma policia civil lotada de poderes, eu como cidadão não me sinto à vontade quando percebo que a mesma policia que toma conta de criminosos, assegura os cidadãos de bem empresariados, e sistemas corporativos acredito que isto não seja justo terem também ampla possibilidade de investigação ao cotidiano do cidadão. Como sabemos que o homem e produto do meio e o meio desta policia e com certeza pior que grande parte da população.Acredito que este sistema de segurança atual como vemos não ofereça confiança nem credibilidade. Vejo em noticiários de jornais a policia civil arrumando sarna para a policia militar se coçar, como a facilitação de vendas de armas e esquemas de corrupção jogo e trafico de drogas, eu dou meus parabéns a lula pela MP e me sinto envergonhado de um congresso de não ter coragem de transformá-la em lei. Deixando todos os contraventores aguardando momentos de investidas nos próximos governos. Talvez os congressistas também estejam desejando obter benefícios deste sistema?!

  • 3. às 03:07 PM em 05 fev 2008, Miguel Lenz escreveu:

    Lógico! Um pais com dimensões continentais e com uma explosão populacional que faria Malthus se remoer no túmulo (Apesar dos “desmentidos” das “autoridades”...), além de ter a mais perversa concentração de renda do mundo e a maior dicotomia social, herança de um passado colonial onde as maiorias, as mais pobres, mestiças e negras, eram consideradas pelos “puros sangues” europeus , como “inferiores”, teria de ter toda esta dramaticidade social Afinal, o Brasil atualmente é uma mistura da tradição conservadora com a modernidade e esta aparecendo , notadamente, no meio urbano, para beneficiar uma minoria parasitária e petulante, que se encastela em palácios blindados e vive uma vida de “primeiríssimo mundo”.Ora, as maiorias, evidentemente, querem ter o status dessa minoria que, por mais absurdo que seja, impõe seu estilo de vida pela cultura televisiva, provocando ciúmes e revolta das massas exploradas. Queriam o que? Que milhões de esfomeados e miseráveis ficassem quietos em seu canto vendo na televisão um desfilar de um mundo de sonhos, abastanças , sensual, de imensas belezas proporcionadas pelo dinheiro?Se há esta espantosa violência no Brasil ela é o reflexo de um tipo de sociedade absurdamente injusta, onde o exibicionismo burguês atinge a todos os sofredores e marginalizados .Assim, os ricos e os beneficiados por este tipo de capitalismo vão ter de agüentar!Afinal, só existe violência quando alguém se acha injustiçado, e esta injustiça é por mais evidente no esnobismo dos privilegiados

  • 4. às 11:49 AM em 06 fev 2008, mauricio escreveu:

    que é isso companheiro?
    tanto ódio destilado p/ q?
    injustiça não justifica nenhum crime, oras bolas
    exibicionismo burguês? vc se deixa impressionar pelo q? afinal de contas
    deixa os "exibidos" se exibirem, não se deixe atingir por essas "gente" estúpida
    deixe os pavões exibicionistas p/ lá, por q afinal, esse "valores" só tem valor se invejados por alguém
    concordo q a exibição ostensiva de bens de consumo, inatingíveis pela maioria possa provocar engulhos estomacais, mas a via democrática deve se sobrepor a qualquer tentativa criminosa de se resolver a questão

  • 5. às 12:27 AM em 07 fev 2008, Miguel Lenz escreveu:

    Ora, companheiro, “a tentativa criminosa de se resolver a questão”- pressupõe que existe uma questão em aberto, e esta, evidentemente, surge do fato que uma minoria se acha no direito de se considerar “acima dos demais”, produzindo uma deialetica conflitosa com aqueles que não têm o poder dos Dobrões
    Democracia? Que democracia que defende o direito das minorias esbanjadoras em detrimento das minorias “com gulas estomacais”, como o sr falou ? Seria democracia todo um aparato legal voltado a beneficiar os donos do poder? Volto a dizer: Se aviolência existe é porque alguém se acha injustiçado, e os parâmetros que medem esta injustiça se revelam no espelho dos que exibem a gastança como símbolo de poder., e os desprezo aos demais que não fazem parte de seu “circulo do ouro”
    A característica mais surpreendente e paradoxal deste tipo de “democracia para alguns” é o notável contraste entre o que nos prometem e o que realmente nos dão Agir “democraticamente” contra a violência num contexto que tal “democracia” é querer impor a vontade dos que mandam porque possuem poder, contra os que nada mandam porque são marginalizados em tal sociedade.
    A burguesia esbanjadora reclama da violência? Ora, ela é a maior promotora da mesma ao destilar o ódio nas classes subalternas
    Há violência?Sim. Agüentem aqueles que a promovem pelo exibicionismo do poder dos Dobrões

  • 6. às 01:29 AM em 08 fev 2008, Altino Correia escreveu:

    O relatório elaborado pela RITLA
    espelha a realidade de uma situação que ocorre atualmente no Brasil. Na
    verdade, a violência tem crescido de
    forma impressionante em razão do desemprego, da miséria, do tráfico e consumo de drogas. Os maiores índices
    de criminalidade ocorrem no Rio e São Paulo, motivados principalmente
    pela carência de recursos para abrir novas frentes de trabalho e ocupação de mão-de-obra. Família desamparada e sem meios de subsistência são presas fáceis para os traficantes, praticando atos ilícitos e decisões arriscadas, levando-as muitas vezes para o mau caminho. Daí o aumento
    da violência e da criminalidade que já alcançaram índices de 10% ou mais.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.