BBCParaAfrica.com
Brasil
Espanhol
Francês
Swahili
Somali
Inglês
Outras línguas
 
Última actualização: 04 Novembro, 2009 - Publicado às 18:40 GMT
 
E-mail um amigo   Versão para imprimir
Apelos de 'calma e ponderação' a Dhlakama
 
Eleitores em Moçambique
Segundo analistas a Renamo sofreu o seu maior desaire eleitoral de sempre
O Observatório Eleitoral, que congrega várias entidades não governamentais e que acompanhou a votação, apelou o maior partido da oposição á calma e contenção.

Renamo alega a ocorrência de irregularidades durante as eleições, que pelo menos na magnitude que pretende apresentar, não são confirmadas pelas missões de observação.

Os protestos da Renamo, e ameaças pelo meio, continuam e muito embora as autoridades estejam a procurar desdramatizar o seu teor a verdade é que, em muitos, está instalado um forte receio, face a discursos como estes que se seguiram a advertência de Afonso Dhlakama de que “o país iria arder.”

Isto na sequência dos resultados que, ainda que parciais, nesta altura não deverão sofrer grandes alterações. Estes dão uma retumbante vitória ao partido no poder, a Frelimo.

'Ponderação'

Brazão Mazula, já esteve á frente da Comissão Nacional de Eleições e dirige actualmente o Observatório Eleitoral, que congrega várias sensibilidades da sociedade civil.

“Esperámos que o candidato da Renamo use o maior de ponderação, de calma e de sabedoria e consiga controlar as posições extremistas do seu partido, e ser um mediador das posições e interesses do seu partido”, disse.

A esperança é que tal como em ocasiões anteriores, no final vingue o bom senso.

Analistas, entretanto, são unânimes em afirmar que, á luz da explicação da Renamo, para este que é o seu maior desaire eleitoral de sempre e pelas contas que têm estado a ser feitas teria sido necessária uma gigantesca operação de fraude.

Esclarecimentos

Observadores da UE
Várias missões de observação em Moçambique reportaram irregulariedades

Nada porém nesse sentido foi apontado por qualquer das várias missões de observação nacional e internacional que estiveram em Moçambique para as eleições de semana, passada, não obstante irregularidades terem sido reportadas.

O analista Egídio Vaz afirma que Dhlakama tem a possibilidade de dizer o que vem á alma sem ser levado á sério.

Segundo referiu “pelo que ele diz seria possível que a Procuradoria-geral da República e as instituições que garantem segurança o questionassem para esclarecer o sentido das suas palavras.”

“O que ele diz não é consubstanciado na prática pelo conjunto de informações dos seus mandatários observadores das mesas das assembleias de voto”, concluiu.

 
 
LINKS LOCAIS
Renamo rejeita resultados das eleições
03 Novembro, 2009 | Notícias
'Falsa democracia' em Moçambique
03 Novembro, 2009 | Notícias
Urnas fecharam a horas e começou contagem
28 Outubro, 2009 | Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
E-mail um amigo   Versão para imprimir
 
 
 
BBC Copyright Logo
 
^^ De volta ao topo
  Arquivo
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>