BBCParaAfrica.com
Brasil
Espanhol
Francês
Swahili
Somali
Inglês
Outras línguas
 
Última actualização: 13 Novembro, 2008 - Publicado em 19:07 GMT
 
E-mail um amigo   Versão para imprimir
Começou em STP julgamento do escândalo CGA
 

 
 
Maria das Neves
Maria das Neves, a antiga primeira-ministra, não compareceu por estar ausente do país.
O tribunal de primeira instância que está a julgar o maior escândalo financeiro em São Tomé e Princípe - o caso dos fundos da GGA, o Gabinete de Gestão das Ajudas Externas - começou a ouvir esta quinta-feira altas figuras politicas do arquipélago.

Intimados pelo tribunal da primeira instância compareceram na audiência para prestar esclarecimentos o antigo primeiro-ministro, Raul Bragança Neto, os ex-ministros do comércio, Arzemiro dos Prazeres, Arlindo de Carvalho e Hélder Paquete, e ainda o representante da CGI, firma pertencente a Fradique de Menezes.

 Eu sou responsável pelos actos que mandei executar enquanto ministro de tutela
 
Arzemiro dos Prazeres, ex-ministro do comércio

Arzemiro dos Prazeres, conhecido por “Bano”, que entre 2002 e 2003 tutelou o GGA, foi o primeiro a comparecer diante do colectivo dos juízes.

O deputado, que não esperou pelo levantamento de imunidade por parte da assembleia nacional, deixou claro que assume todas as responsabilidades enquanto ministro e por isso está de consciência tranquila.

“Eu sou responsável pelos actos que mandei executar enquanto ministro de tutela”, precisou o ex-ministro do comércio.

As declarações de Arzemiro dos Prazeres não deixaram dúvidas ao colectivo dos juízes quanto às inúmeras ilegalidades que envolveram todo o caso do GGA donde foram desviados biliões de dobras provenientes das ajudas externas do Japão.

Figuras políticas ausentes

Mas para Arzemiro dos Prazeres, numa clara justificação, tais ilegalidades que existiam são de natureza institucional porque, acrescentou “Bano”, no ministério do comércio, indústria e turismo que tutelou durante os quinze meses não havia recursos do OGE, Orçamento Geral do Estado.

"As despesas deste ministério durante sete meses foram custeadas pelo GGA, todas as despesas institucionais”, concluiu.

No leque de altas figuras políticas do país notificadas pelo tribunal de primeira instância não compareceram a esta sessão de julgamento os antigos primeiros-ministros Armindo Vaz d’Almeida e Maria das Neves, o ex-ministro do comércio, Júlio Silva, e Carlos Gustavo dos Anjos, embaixador de São Tomé e Princípe na Bélgica, todos por se encontrarem ausentes do pais.

 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
E-mail um amigo   Versão para imprimir
 
 
 
BBC Copyright Logo
 
^^ De volta ao topo
  Arquivo
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>