BBCParaAfrica.com
Brasil
Espanhol
Francês
Swahili
Somali
Inglês
Outras línguas
 
Última actualização: 21 Novembro, 2007 - Publicado em 12:18 GMT
 
E-mail um amigo Versão para imprimir
Reacção mista à morte de Ian Smith
 
Robert Mugabe
Mugabe tornou-se Primeiro Ministro em 1980 quando a Rodésia passou a ser designada de Zimbabué.
O ex-primeiro ministro da antiga Rodésia, Ian Smith, morreu aos 88 anos de idade na sua residência da Cidade do Cabo, na África do Sul.

Não foram avançadas as causas da morte, mas há já algum tempo que Ian Smith se encontrava doente.

A reacção à sua morte foi mista, com os seus antigos inimigos a descrevê-lo como um racista sem remorsos e os seus apoiantes a designá-lo como um homem de convicções fortes.

Eles permaneceram leais até ao fim, acreditando que ele era um político visionário que previu o caminho que o país podia tomar sob a liderança negra.

Nascido numa cidade mineira da antiga Rodésia em 1919, serviu como piloto na força aérea britânica durante a Segunda Guerra Mundial.

Tornou-se Primeiro Ministro da auto-governada colónia da Rodésia em 1964. Ele fez a declaração unilateral da Independência no ano seguinte e foi condenado de forma generalizada.

As Nações Unidas impuseram sanções que apenas pareceram fortalecer a decisão de Ian Smith.

Ele levou o país a uma guerra de sete anos. No final não foram apenas as forças da guerrilha mas também os antigos senhores coloniais da Rodésia e os vizinhos na África do Sul que o forçaram a concordar com eleições gerais.

Eleições

Em 1980, a Rodésia tornou-se no Zimbabué com Robert Mugabe como Primeiro Ministro.

Smith argumentava que a população negra não estava preparada para dirigir o país.

Nos últimos anos da sua vida, ele costumava chamar a atenção para o estado do Zimbabué, com o seu declínio económico e instabilidade política como prova de que ele estava certo.

Ele tornou público o que pensava nas suas memórias intituladas 'A Grande Traição.'

O Ministro zimbabuéano da Informação, Sikhanyiso Ndlovhu, disse à BBC que Smith teve uma boa vida sob a liderança de Mugabe.

"Ele gozou de um país melhor depois da independência, depois da sua governação ou da sua má governação, porque durante a sua liderança, não havia democracia neste país."

Um homem que ele condenou no seu livro foi o antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros da África do Sul, Pik Botha.

Botha descreveu Smith como tenaz, de uma integridade elevada mas muito difícil de convencer.

No Zimbabué, a rádio estatal deu conta da morte de Ian Smith e afirmou que ele ia ser lembrado pelo seu racismo e pelas mortes de muitos zimbabuéanos.

Conflito violento

Numa entrevista à BBC em 1998, Ian Smith, explicava assim o conflito sangrento que se seguiu à autoproclamação da independência em 1965:

"A guerra civil foi causada por indivíduos que deixaram o país e que foram sujeitos a uma lavagem cerebral na Rússia e na China. Eram pessoas com sede do poder e que queriam tomar as sua rédeas e que não quiseram esperar pela evolução normal das coisas"

Ian Smith afirmou em várias ocasiões que a população da antiga Rodésia, brancos e negros, teriam tido um futuro melhor sob a sua administração do que a de Robert Mugabe e o Partido Zanu-PF, que permanece no poder.

'Sede de poder'

Smith sempre negou que a violência pós-independência estivesse relacionada com as acções do seu governo para além de não ver entraves ao domínio político de uma minoria de 200 mil brancos sobre uma população maioritária de 5 milhões de negros.

Já em 1977, Ian Smith se dizia preocupado com a mudança de governo na antiga Rodésia:

 Nós na Rodésia temos um destino a cumprir que é provar que temos uma resposta para a divisão que nos está a destruir
 
Ian Smith em 1977

"O medo e o ódio estão a destruir o nosso país. Eu, enquanto branco receio o poder negro porque julgo que vou sofrer com isso e o homem negro odeia o homem branco. Mas este ódio é justificado, basta-me olhar para África e encontro amplas razões para esse ódio."

"Mas nós na Rodésia temos um destino a cumprir que é provar que temos uma resposta para a divisão que nos está a destruir", dizia Ian Smith em 1977.

Ian Smith sempre afirmou que não foram os seus inimigos que o derrotaram mas os males do apharteid que destruíram o seu projecto.

Ian Smith permaneceu na política actiav no Zimbabué até 1987 quando Robert Mugabe eliminou do parlamento as vagas reservadas à minoria branca do Zimbabué.

 
 
LINKS LOCAIS
Bispos católicos avisam Mugabe
09 Abril, 2007 | Notícias
Presidente Mbeki mediador bem aceite
03 Abril, 2007 | Notícias
Ncube 'não se calará' contra Mugabe
12 Setembro, 2007 | Notícias
Perfil: Joaquim Chissano
22 Outubro, 2007 | Notícias
Afonso Dhlakama
03 Dezembro, 2004 | Notícias
Cronologia: Moçambique
15 Junho, 2005 | Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
E-mail um amigo Versão para imprimir
 
 
 
BBC Copyright Logo
 
^^ De volta ao topo
  Arquivo
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>