A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Israel estende cessar-fogo por mais quatro horas em Gaza

26 julho 2014 Atualizado pela última vez 13:58 (Brasília) 16:58 GMT

mulher aponta para prédio destruído
Palestinos encontraram cenário de destruição em Gaza

Israel concordou em estender por mais quatro horas, até a meia-noite (hora local), o cessar-fogo na Faixa de Gaza, informou uma fonte militar israelense à BBC.

Desde às 8h deste sábado (hora local, 1h no horário de Brasília) prevalece uma trégua na região, que terminaria às 20h (14h, horário de Brasília).

O Hamas ainda não se pronunciou sobre se também concorda em ampliar a interrupção das hostilidades entre os dois lados.

Segundo o jornal Haaretz, uma fonte do Hamas estaria examinando a possibilidade, mas nenhuma decisão teria sido tomada.

Durante o dia, milhares de palestinos puderam voltar a suas casas para recolher pertences e buscar suprimentos. Para muitos, um cenário desolador.

Mais de cem corpos foram resgatados de escombros de prédios e casas em Gaza neste sábado, elevando o número de mortes de palestinos para mais de mil e de feridos para 5.870, afirmaram autoridades de saúde palestinas.

Do lado israelense, 42 morreram no conflito, que começou no dia 8 de julho.

Nesta manhã, o secretário de Estado americano, John Kerry, se reuniu com ministros das Relações Exteriores da Turquia, Catar e de países europeus para tender estender o cessar-fogo.

Kerry passou a semana no Oriente Médio tentando alcançar um acordo para uma trégua antes de deixar o Egito na sexta-feira.

O chanceler britânico, Philip Hammond, disse à BBC que todos no encontro concordaram que é preciso estender o cessar-fogo "porque a situação humanitária assim o demanda".

O ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, afirmou a jornalistas que "uma trégua duradoura deveria beneficiar tanto as demandas de Israel em relação à segurança, quanto as dos palestinos, em relação ao desenvolvimento socio-econômico".

Túneis

O porta-voz do governo israelense Mark Regev disse mais cedoque Israel "aprecia" os esforços contínuos de Kerry e que Israel quer "a paz".

"As pessoas de Gaza não são nossos inimigos. Nossos inimigos são os que estão lançando foguetes contra cidades isralenses", disse Regev à BBC.

Israel disse que mesmo durante a trégua iria "buscar e neutralizar" túneis do Hamas.

Até agora 31 túneis foram descobertos e metade destruídos.

Antes do início do cessar-fogo, bombardeios israelenses mataram ao menos 19 palestinos durante a noite em uma casa perto de Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza.

Dois soldados israelenses também morreram, informaram fontes militares.