A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Torcedores mantêm fé na seleção e pedem fim das greves

7 junho 2014 Atualizado pela última vez 00:34 (Brasília) 03:34 GMT

No último amistoso antes de estrear de vez na Copa do Mundo, a seleção brasileira não empolgou muito as 67 mil pessoas que foram ao Morumbi nesta sexta-feira acompanhar a magra vitória por 1 a 0 sobre a Sérvia.

Mas, apesar de algumas vaias no primeiro tempo, a atuação morna do Brasil não fez com que os torcedores saíssem de lá completamente desanimados com a equipe brasileira. A menos de uma semana do pontapé inicial entre Brasil e Croácia na Arena Corinthians, em São Paulo, a seleção parece ter conquistado o apoio de grande parte da torcida em casa.

"Foram só algumas vaias, na Copa todo mundo vai apoiar. O time está bem e nós vamos ser hexa!", disse um animado torcedor, todo vestido de verde e amarelo na saída do Morumbi.

Enquanto uns minimizaram as vaias, outros pediram para a torcida ter mais paciência e apoiar a seleção durante o Mundial. "Não importa problema que a gente tenha no dia a dia, aqui a gente tem que torcer. Acho que existe essa possibilidade (de acontecer vaia), elas têm acontecido. Espero que as pessoas se conscientizem, isso fica feio pra nós", afirmou Cláudia Ferreira.

O Brasil fez um jogo lento contra os sérvios no Morumbi, com um primeiro tempo sem muitas chances de gol e que teve direito a vaias no final. Já na volta do intervalo, a seleção teve o atacante William no lugar de Oscar e conseguiu avançar mais no ataque. O único gol da partida saiu aos 13 minutos, quando Fred, praticamente deitado e sob forte marcação dentro da área, conseguiu chutar para garantir a vitória brasileira. Os sérvios até deram alguns sustos no final, mas a seleção conseguiu segurar o resultado.

Greves

A sexta-feira foi o segundo dia de greve do metrô de São Paulo e chegar ao Morumbi para o jogo foi uma experiência um pouco caótica para os torcedores. O trânsito nos arredores do estádio ficou bastante congestionado e a chuva também não colaborou com as quase 70 mil pessoas que estavam tentando chegar ao local.

Por enquanto, os metroviários ainda discutem se a greve vai continuar no final de semana ou não – e, caso continue, a preocupação começa a aumentar por conta da abertura da Copa do Mundo, que irá acontecer na Arena Corinthians, em Itaquera, na próxima quinta-feira.

"Acho que o pessoal deveria dar uma trégua aí para facilitar a vida dos torcedores e dos turistas, nós temos que fazer a Copa bonita, não interessa o que aconteceu antes, a roubalheira… acho que agora e hora de parar e torcer", pediu Mozart Ferreira.

Para a torcedora Cláudia Ferreira, as greves e protestos que têm acontecido são "oportunistas" para aproveitar os holofotes da mídia.

"Eles estão fazendo de propósito, estão fazendo para mostrar o ponto de vista deles, mas acho que não precisava ser agora. Se eles pudessem parar, seria melhor pra todo mundo, pra nós e pra quem está vindo. Eles estão sendo bem oportunistas."

Também estava programado um protesto do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) para esta sexta em frente ao Morumbi, mas ele acabou cancelado nesta manhã depois que o governo federal sinalizou avanços nas negociações com os manifestantes.