BBC navigation

Adolescente paquistanesa baleada pelo Talebã deixa hospital

Atualizado em  4 de janeiro, 2013 - 10:56 (Brasília) 12:56 GMT

Player

Blogueira Malala Yousafzai ainda se recupera do crime de outubro passado; milícia promete atacá-la novamente.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Malala é cumprimentada por enfermeiras do hospital de Birmingham, onde estava internada.

A adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, que foi baleada pelo Talebã em outubro, deixou o hospital em que estava internada na Inglaterra.

Malala, de 15 anos, havia sido baleada na cabeça e no peito devido a seu ativismo político em defesa da educação de meninas em seu país e pelas críticas à milícia islâmica. O crime gerou revolta dentro e fora do Paquistão.

A jovem agora continuará o tratamento de reabilitação na casa onde sua família está vivendo temporariamente, na região da cidade de Birmingham (centro-sul da Inglaterra).

Até o mês que vem ela também deverá se submeter a uma cirurgia de reconstrução craniana.

Blog

Malala se tornou conhecida ainda em 2009, aos 11 anos, quando assinava o blog Diário de uma Estudante Paquistanesa na BBC Urdu, site da BBC para o Paquistão.

Na época, ela comentava o impacto de medidas do Talebã que, naquele ano, havia fechado mais de 150 escolas para meninas, e explodido outras cinco no Vale de Swat, uma região ultraconservadora do norte do país.

O ataque contra Malala ocorreu no dia 9 de outubro do ano passado, quando a menina estava voltando da escola para casa, na cidade de Mingora, na província de Swat.

Dois homens armados abordaram a van escolar que transportava Malala e cerca de dez crianças em uma congestionada avenida da cidade.

O Talebã disse que a menina promove o secularismo e prometeu atacá-la novamente.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.