Protesto antigoverno resulta em bombas e cenas de violência em Atenas

Atualizado em  18 de outubro, 2012 - 13:25 (Brasília) 16:25 GMT

Player

Cerca de 40 mil manifestantes foram às ruas para criticar medidas de austeridade; houve choques com a polícia.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

As ruas de Atenas foram tomadas por novos protestos nesta quinta-feira, em reação aos cortes de gastos promovidos pelo governo grego para cumprir as exigências de credores internacionais.

Ao menos 20 mil pessoas participaram das manifestações, que resultaram em cenas de violência entre manifestantes e policiais - alvejados com bombas caseiras e pedras. A polícia reagiu com bombas de gás lacrimogêneo.

Dezenas de pessoas foram detidas e feridas. Segundo a agência Reuters, um manifestante de 65 anos morreu em decorrência de um ataque cardíaco.

O protesto grego foi promovido em apoio à 20ª greve geral realizada no país nos últimos dois anos, desde o início da crise da dívida grega.

Policiais foram alvejados com bombas caseiras e pedras

A paralisação esvaziou escritórios, portos e fábricas e interrompeu serviços públicos.

Para os manifestantes, as medidas de austeridade impostas pelos credores da Grécia - principalmente União Europeia, Banco Central Europeu e FMI -, incluindo cortes em pensões e no funcionalismo, tendem a agravar a crise do país, em seu quinto ano de recessão.

Pesquisas de opinião mostram que a população grega está cada vez mais insatisfeita com os termos do pacote de resgate cedido à Grécia, que exige uma contrapartida de 11,5 bilhões de euros em cortes de gastos.

Também nesta quinta-feira, líderes da União Europeia se reúnem em Bruxelas para discutir a a união bancária na zona do euro, mas não são esperadas decisões substanciais sobre como enfrentar a crise no bloco econômico.

Ao chegar ao encontro, a chanceler (premiê) alemã, Angela Merkel, defendeu que a UE tenha poder de veto sobre os orçamentos dos países-membros, caso estes violem as regras do bloco.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.