BBC navigation

Mamute em 'estado perfeito' pode permitir clonagem

Atualizado em  13 de setembro, 2012 - 07:47 (Brasília) 10:47 GMT

Player

Possibilidade de encontrar material genético intacto em animal encontrado na Sibéria anima cientistas.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Cientistas russos descobriram restos mortais de um mamute aparentemente em perfeito estado de conservação na Sibéria.

Os pesquisadores têm esperança de encontrar células completas, o que levou a especulações na imprensa russa sobre a possibilidade de se clonar um mamute.

Foto: EVN

A ossada foi encontrado no mesmo local em que haviam sido descobertos outros restos de animais

No entanto, cientistas da Academia Russa de Ciências já disseram duvidar de que células vivas sejam encontradas.

O chefe da expedição à Sibéria também rapidamente desmentiu qualquer plano de clonagem, dizendo que ainda é preciso analisar melhor os despojos em laboratório.

"Ainda no local da descoberta, verificamos que as células estavam bem preservadas, o que acendeu esperanças de encontrarmos núcleos celulares completos", afirmou Semyon Grigoriev.

No ano passado, tinham sido encontradas carcaças de mamutes, bisontes e outros animais pré-históricos no local, mas agora, a cerca de 100 metros de profundidade, foram descobertos estes tecidos adiposos, lã e até tutano de um mamute.

O material será enviado a um laboratório na Coreia do Sul para verificar se realmente há células vivas.

A maioria dos mamutes foi extinta há cerca de dez mil anos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.