Vídeo mostra momento em que polícia sul-africana abre fogo e mata grevistas

Atualizado em  17 de agosto, 2012 - 08:30 (Brasília) 11:30 GMT

Player

Episódio deixou mais de 30 mortos, em um dos casos mais violentos registrados no país desde o fim do apartheid.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

A polícia sul-africana abriu fogo contra mineiros em greve e matou mais de 30 deles na última quinta-feira, em um dos piores episódios de violência no país desde o fim do regime do apartheid (1948-1994).

Os mineiros, que estavam armados com paus e facões, pediam aumentos salariais e organizavam um protesto, em uma mina a 200 km de Johannesburgo.

As tensões vinham crescendo nas últimas semanas, com confrontos entre sindicatos grevistas rivais. Dez pessoas, entre grevistas e policiais, já haviam sido mortas.

Mas os enfrentamentos de quinta-feira ganharam contornos de massacre. Primeiro, os policiais tentaram dispersar os grevistas com gás lacrimogêneo e jatos d'água.

Episódio foi um dos mais violentos do país desde o fim do apartheid

Segundo jornalistas que presenciaram a cena, isso afastou alguns mineiros. Mas, quando um grupo deles começou a correr em direção à polícia, os policiais abriram fogo com metralhadoras.

Cenas de enfrentamento desse tipo envolvendo a polícia não eram vistas no país desde a época do regime de segregação racial.

'Armados até os dentes'

O ministro Nathi Mthethwa, ao qual a polícia é subordinada, confirmou que mais de 30 pessoas morreram no episódio e que este será investigado. Mas seu gabinete defendeu o direito de defesa dos policiais.

"A polícia tem o direito de se defender se estiver sendo atacada (...). Eles (grevistas) estavam armados até os dentes", afirmou seu porta-voz, Zweli Mnisi.

Os policiais também dizem ter sido alvejados pelos grevistas, com uma arma supostamente roubada da polícia que foi encontrada depois.

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, por sua vez, se disse "chocado e consternado pela violência sem sentido".

Em comunicado, o presidente afirmou que "há espaço o suficiente em nossa ordem democrática para que qualquer disputa seja resolvida pelo diálogo, sem descumprimento da lei ou atos de violência".

A mineração é uma das principais atividades econômicas da África do Sul.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.