BBC navigation

Inflação deve superar centro da meta em 2013, diz BC

Atualizado em  28 de março, 2013 - 11:31 (Brasília) 14:31 GMT

A inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve fechar 2013 em 5,7%, acima do centro da meta estipulada pelo Banco Central, de 4,5%.

Os dados constam do Relatório de Inflação referente ao primeiro trimestre deste ano e divulgado nesta quinta-feira pela autoridade monetária.

A publicação do documento ocorreu um dia depois de a presidente Dilma Rousseff ter afirmado que não concordava com políticas de controle de inflação que prejudicassem o crescimento do país.

Horas depois, Dilma, que estava na cidade sul-africana de Durban para a cúpula anual dos Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, disse que sua declaração havia sido manipulada pela imprensa.

A atual estimativa, de 5,7%, supera consideravelmente o índice com o qual o BC trabalhava no fim de 2012.

Na ocasião, a autoridade monetária previa que a inflação em 2013 seria de 4,8%.

Em 2011, o IPCA fechou exatamente no teto da meta (6,5%) e, no ano passado, foi de 5,84%.

Acima do teto da meta

No relatório, o BC também indica que, num período de 12 meses, a inflação terminará o primeiro trimestre de 2013 no teto da meta fixada pelo governo e deve superar tal patamar no segundo trimestre, atingindo 6,7%.

Segundo a autoridade monetária, o índice só começará a apresentar desaceleração no terceiro trimestre, quando deve bater 6%, fechando o ano em 5,7%.

Para 2014, a previsão do BC é de que o IPCA registre queda em relação a este ano. Porém, ainda assim, deve superar o centro da meta, fechando em 5,3%.

O documento também aponta que a economia deve crescer 3,1% neste ano, abaixo da previsão oficial do governo, que é de 4%.

No ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de bens e serviços do país, foi de 0,9%.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.