Itália julgará novamente americana Amanda Knox

  • 26 março 2013
Amanda Knox. AP
Amanda Knox vive atualmente nos EUA, mas poderia vir a ser extraditada

A Suprema Corte da Itália decidiu que a americana Amanda Knox e seu ex-namorado, o italiano Raffaele Sollecito, deverão ser novamente julgados, sob acusação de envolvimento no assassinato da britânica Meredith Kercher.

O casal passou quatro anos na prisão, mas foram libertados em 2011, sob argumento de que não haviam evidências de DNA consistentes no local.

A promotoria disse que a Meredith teria morrido vítima de um jogo sexual no apartamento em que vivia em Perugia, em outubro de 2007.

Hoje vivendo em Seattle, nos Estados Unidos, Knox disse em nota que a decisão foi "dolorosa".

A irmã da britânica assassinada, na Grã-Bretanha, se disse feliz com a decisão.

Caso seja condenada no novo julgamento, Knox poderá ser extraditada dos Estados Unidos à Itália.