Oligarca e dissidente russo Berezovsky é encontrado morto na Inglaterra

  • 23 março 2013
Magnata foi apontado como 'cabeça' do esquema MSI

O magnata russo Boris Berezovsky, de 67 anos, foi encontrado morto em sua residência na região de Surrey, no sudeste da Inglaterra, neste sábado.

Ainda não se sabe a causa da morte do chamado ''oligarca'', como são conhecidos os empresários russos que fizeram grandes fortunas no país, principalmente durante o programa de privatização que se deu após o colapso da União Soviética.

O empresário fez sua fortuna na década de 90, vendendo Mercedes importados e automóveis produzidos na Rússia.

Mais tarde, como proprietário da empresa petrolífera Sibneft e acionista majoritário do principal canal de TV russo, Berezovsky apoiou a ascensão de Boris Yelstin à presidência do país.

Nos últimos anos da presidência de Yeltsin, Berezovsky se tornou parte do ciclo íntimo do líder russo e vice-secretário do Conselho de Segurança da Rússia.

Ele também apoiou a ascensão do então primeiro-ministro Vladimir Putin, que acabou sucedendo a Yeltsin como presidente.

Mas o novo líder procurou conter as ambições políticas dos oligarcas e fez com que o governo do país se apropriasse dos bens de diversos empresários, o que levou Berezovsky a partir para um auto-imposto exílio na Grã-Bretanha, onde passou a viver desde 2000.

Tentativas de assassinato

Berezovsky sobreviveu a inúmeras tentativas de assassinato, entre elas uma bomba que decapitou o seu chofer.

No ano passado, ele perdeu uma ação judicial contra o ex-parceiro comercial e proprietário do time de futebol Chelsea, Roman Abramovich.

Na ação, na qual pediu uma indenização de 3 bilhões de libras (cerca de R$9,1 bilhões), Berezovsky alegou ter sido intimidado a vender suas ações na empresa petrolífera Sibneft.

Mas ao decidir a favor de Abramovich, a Justiça britânica afirmou que Berezovsky havia sido uma testemunha ''constantentemente pouco confiável''.

Berezovsky chegou a ter sua prisão decretada no Brasil, em 2007, por suposto envovlimento com a empresa MSI, então sócia do time do Corínthians.

O empresário era acusado de ter o controle financeiro da MSI, que tinha sede em Londres e era representada no Brasil por Kia Joorabchian.

A conexão entre Berezovsky e MSI foi investigada pela Interpol e, em julho de 2007, o Ministério Público pediu a prisão do empresário pela acusação de lavagem de dinheiro.

Notícias relacionadas