Plebiscito histórico definirá possível independência da Escócia

  • 15 outubro 2012

O premiê britânico, David Cameron, e o primeiro ministro da Escócia, Alex Salmond, acordaram nesta segunda-feira a realização de um plebiscito histórico, que em 2014 mostrará se os escoceses desejam ou não sua independência.

O plebiscito trará uma única questão de "sim" ou "não", a respeito de se os 5 milhões de habitantes da Escócia devem deixar o Reino Unido, ao qual pertencem há três séculos.

A iniciativa é uma das muitas ações nacionalistas em curso atualmente na Europa e ecoa movimentos separatistas em regiões como a Catalunha (Espanha) e em partes da Bélgica.

Cameron disse se opor à independência escocesa, alegando que tanto o Reino Unido quanto a Escócia se beneficiam da união, mas disse que deixará a decisão nas mãos da população.

Caso o "sim" vença no plebiscito de 2014, o Parlamento escocês – que não tem autonomia para declarar a Escócia um país independente – deverá lançar diálogos com o governo britânico para definir a eventual separação.

O processo abriria novas dúvidas, por exemplo, quanto à permanência da Escócia na União Europeia, o uso da libra como a moeda do país, o êxito da economia local sem a ajuda do governo britânico e a posse de estimados 20 bilhões de barris de petróleo e gás que estão na parte do Mar do Norte pertencente ao Reino Unido.