Ex-ditador argentino Jorge Videla é condenado a 50 anos de prisão

Atualizado em  5 de julho, 2012 - 19:47 (Brasília) 22:47 GMT

O ex-ditador argentino Jorge Rafael Videla, 86, foi condenado nesta quinta-feira a 50 anos de prisão por ter empreendido um plano de roubo de bebês durante o regime militar no país.

O ex-capitão de fragata Jorge "El Tigre" Acosta e o ex-presidente Reynaldo Bignone, também envolvidos na mesma acusação, receberam penas de 30 e 15 anos, respectivamente.

Além deles, oito pessoas (entre militares, médicos e civis) foram condenados a sentenças que chegam a 30 anos.

Todos estavam sendo julgados desde fevereiro de 2011.

Eles foram investigados pelo roubo de 35 bebês, dos quais 28 já descobriram sua verdadeira identidade e têm hoje mais de 30 anos.

As crianças seriam filhas de presos políticos torturados e mortos durante a ditadura argentina.

Cerca de 13 mil pessoas morreram vítimas do regime militar no país.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.