Ministério Público confirma desaparecimento de líder indígena no MS

Atualizado em  18 de novembro, 2011 - 21:15 (Brasília) 23:15 GMT

O Ministério Público Federal (MPF) em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, confirmou o desaparecimento do cacique Nísio Gomes após um ataque à comunidade indígena Guaviry.

Na manhã desta sexta-feira, a aldeia na cidade de Amambaí, na fronteira com o Paraguai, foi atacada por homens armados. O cacique Nísio Gomes, de 59 anos, teria sido executado com tiros na cabeça, segundo nota divulgada no site no MPF.

O comunicado diz que uma equipe da Polícia Federal, acompanhada de um representante da Procuradoria e um enviado da Fundação Nacional do Índio (Funai), confirmou o desaparecimento do cacique.

De acordo com membros da comunidade, ele que teria sido levado pelos pistoleiros após receber os tiros.

"A perícia policial confirmou presença de sangue humano no local onde o cacique teria levado os tiros, segundo os índios. Também comprovou-se que o corpo foi arrastado", diz a nota.

Os indígenas afirmam que há outros desaparecidos, entre eles uma mulher e uma criança.

A aldeia, que concentra uma população estimada em 60 indígenas, está dentro de uma área de reserva legal de uma fazenda. Os índios reivindicam a posse do terreno, segundo o MPF.

Este não é o primeiro caso de ataque a aldeias na região, palco de conflitos fundiários. Em 2009, dois professores indígenas foram sequestrados e mortos. O corpo de um deles nunca foi encontrado.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.