BBC HomepageFale com a gente
BBC Brasil
13 de outubro, 2000 Publicado às 16:00 GMT
O Mundo Hoje
Especial
Reportagem
BBC e Você
Ivan Lessa
Sobre a BBC
Aprenda inglês

BBC Rádio
Programação
De Olho no Mundo
Como sintonizar


Outros sites
da BBC

BBC World Service
Aprenda Inglês
Em espanhol
BBC News Online
Em russo
Em árabe
Em chinês (mandarim e cantonês)
Especial: Processo de Paz no Oriente Médio
Arafat deixa de ser unanimidade palestina

Arafat: pulso firme para comandar palestinos

Seja no campo de batalha, seja na mesa de negociações, Yasser Arafat é há mais de 40 anos o indiscutível líder dos palestinos pela criação de seu estado independente.

Personagem enigmático, em que os feitos de coragem pessoal muitas vezes se confundem com uma notável tendência à mitificação, Arafat simboliza a luta de todo um povo pela sua sempre adiada autonomia.

Mas seu estilo autocrático e personalista, que foi fundamental para manter a unidade da causa palestina nos anos de ilegalidade, já há tempos vem desgastando seu apoio popular nas áreas controladas pela Autoridade Palestina.

Arafat diz ser natural de Jerusalém, mas há registros de seu nascimento no Cairo, em 1929. Depois de fazer fortuna no Kuwait como comerciante, participou em 1959 da formação do Fatah, grupo que se tornaria o principal elemento da Organização pela Libertação da Palestina, e pouco tempo depois se tornou o líder incontestado da causa palestina.

Coragem e autoritarismo

Mesmo sob críticas de seus comandados, Arafat segue sendo o grande instrumento pela criação do estado palestino.

Mas, como o processo não está preenchendo as expectativas criadas pela assinatura dos acordos de Oslo, em 1993, seu estilo autoritário e sua recusa em delegar responsabilidades já não contam mais com tanta boa-vontade por parte de seus compatriotas.

A situação já foi diferente. No começo da luta palestina, Arafat liderou a OLP na busca de seus objetivos a qualquer custo, mesmo que valendo-se de meios violentos.

Sua autoridade permaneceu intacta durante os anos 60 e 70, mesmo que muitas vezes tenha sido alvo de críticas na comunidade internacional por comandar ações como o seqüestro de aviõe e ataques a bomba.

Arafat deu freqüentes provas de coragem pessoal, envolvendo-se diretamente em situações críticas como o apoio palestino à Jordânia na guerra de 1970 contra Israel ou durante o cerco israelense a Beirute, 12 anos depois.

Erro fatal

Além do valor militar, Arafat valeu-se de estratégias muitas vezes discutíveis para consolidar sua liderança no movimento palestino.

Em nome de sua causa, com freqüência fez uso de ameças e intimidações para garantir que o poder permanecesse em suas mãos.

Analistas consideram que hoje, como líder da Autoridade Palestina, uma entidade reconhecida e com responsabilidades legais, suas táticas continuam as mesmas.

Seu grande erro na área de política externa foi cometido no começo dos anos 90, quando apoiou o líder iraquiano Saddam Hussein na Guerra do Golfo.

Essa decisão privou a OLP de grande parte de suas fontes de renda, já que a entidade era financiada por governos de países árabes que se opuseram ao expansionismo de Saddam.

Com a derrota do Iraque, a OLP ficou sem aliados e sem dinheiro, e Arafat acabou sendo forçado a fechar acordos com Israel sob termos nem sempre considerados aceitáveis por seus comandados.

Para cima  


Cronologia do conflito


Jerusalém é o principal obstáculo para a paz
Impasse em Jerusalém Links na Internet:
(Em Inglês)

ISRAEL
Government Gateway
Foreign Ministry
Ariga treaties
B'Tselem
Golan Council
Hebron Community
Iris
Red Line

PALESTINA
Palestinian Authority
Hebron
JMCC
Jerusalemites
Land and Water (Law)

SÍRIA
Min of Information
Syrian Arab News
Occupied Golan

LÍBANO
Parliament
Presidency
Hezbollah

INTERNACIONAL
UN - Palestine
US State Department

IMPRENSA DA REGIÃO
Al-Ahram Weekly
Daily Star
Haaretz
Israelwire
Jerusalem Post
Jordan Times


A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links indicados.

© BBC World Service
Bush House, Strand, London WC2B 4PH, UK.
Notícias e áudio em 43 línguas