BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 12 de dezembro, 2008 - 23h56 GMT (21h56 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Nordeste, RJ e SC devem receber 'ajuda climática', diz Minc
 

 
 
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc (foto de arquivo)
Carlos Minc participa de reunião da ONU sobre o clima na Polônia
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou que o Nordeste, o Rio de Janeiro e Santa Catarina devem ser os primeiros beneficiados pelo pleno funcionamento do Fundo de Adaptação às mudanças climáticas anunciado nesta sexta-feira durante a reunião das Nações Unidas sobre o clima, em Poznan, na Polônia.

O fundo é um instrumento criado pelo Protocolo de Kyoto, finalizado em 1997, para ajudar países pobres a combater as conseqüências do aquecimento global.

“Esses recursos iriam, por exemplo, para o Nordeste, que vai sofrer muito com a mudança do clima, e para áreas como o Rio de Janeiro e Santa Catarina, que sofrem com enchentes“, disse Minc à BBC Brasil, durante a conferência na Polônia.

Horas antes do fim da reunião, negociadores anunciaram a operacionalização do fundo, que dentro de alguns meses já pode começar a liberar milhões de dólares para regiões afetadas pela mudança do clima.

A decisão foi elogiada por grupos ambientalistas. Alguns chegaram a saudar a medida como o “único” avanço da reunião.

“Essa pode ser a única coisa a sair de Poznan”, afirmou Kit Vaughan, representante da organização ambientalista WWF na Grã-Bretanha.

No entanto, havia também a expectativa sobre um aumento na arrecadação do fundo, que desde sua concepção é abastecido com recursos provenientes de uma taxa de 2% sobre os investimentos de países ricos em projetos de energia limpa em países em desenvolvimento.

“Não houve acordo sobre mais financiamentos. O resultado foi previsível e obrigatório”, criticou Sávio Carvalho, da ONG Oxfam de Uganda.

Al Gore

O Estado de Santa Catarina também foi lembrado também pelo ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, vencedor do Nobel da Paz do ano passado por seus esforços para divulgar e combater as mudanças climáticas.

“Dois dos três tufões mais fortes da história atingiram o sul da Ásia nos últimos três anos. A América do Norte também foi atingida por fortes tempestades; na do Sul, o Brasil registrou o primeiro furacão de sua história (o Catarina, em 2004)”, disse Gore.

O ex-vice-presidente americano também aproveitou o seu discurso – que, como no ano passado, em Bali, foi aplaudido de pé durante dois minutos – para elogiar o plano de combate ao desmatamento do governo brasileiro.

“Os países em desenvolvimento também se tornaram líderes. Na semana passada, o Brasil propôs um impressionante novo plano para enfrentar o desmatamento" afirmou Gore, arrancando aplausos da platéia.

 
 
Ban Ki-moon (à esq.) e o presidente polonês Lech Kaczynski Clima
Brasil é exemplo de economia verde, diz Ban Ki-Moon.
 
 
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc (foto de arquivo) Clima
Ricos devem cortar no mínimo 40% das emissões, diz Minc.
 
 
Incêndio na Amazônia Meio ambiente
Brasil fica em 8º lugar em índice de mudança climática.
 
 
Cidade do México (arquivo) Clima
Para Américas, crise ameaça luta contra aquecimento.
 
 
Entenda
BBC Brasil explica a reunião sobre clima da ONU na Polônia.
 
 
Mudança climática
Entenda reunião sobre aquecimento global.
Veja
 
 
Geleira Ambiente
Veja informações e explicações sobre mudanças climáticas.
 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade