BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 20 de março, 2008 - 10h46 GMT (07h46 Brasília)
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
Ácido fólico 'pode manter espermatozóides saudáveis', diz estudo
 
Espermatozóide
Dieta pode ter impacto na qualidade dos espermatozóides
Uma dieta rica em ácido fólico (um derivado da vitamina B) pode proteger homens contra a produção de espermatozóides com anormalidades em seus cromossomos, sugeriu estudo da Universidade da Califórnia, em Berkeley.

O nutriente, que também protege contra defeitos congênitos, é encontrado em fígado, alguns legumes, verduras de folhas e frutas cítricas. Ele é necessário durante a síntese de DNA, RNA e proteínas, e para a produção de novas células.

Estima-se que de 1% a 4% dos espermatozóides de um homem saudável têm cromossomos demais ou menos do que o normal - um distúrbio conhecido como aneuploidia, e que causa erros durante a divisão celular. As suas causas ainda não são totalmente compreendidas pelos cientistas mas se estes espermatozóides anormais fertilizarem um óvulo normal, provocarão um aborto natural ou criarão um feto com distúrbios cromossômicos.

Crianças nascidas com um cromossomo 21 a mais têm síndrome de Down e meninos com um cromossomo X a mais, sofrem da síndrome de Klinefelter, que pode afetar o desenvolvimento da fala.

Neste estudo publicado na revista Human Reproduction a equipe de Berkeley analisou amostras de espermatozóides de 97 homens saudáveis, não-fumantes, com idades entre 22 e 80 anos, e entrevistou-os para saber sobre sua ingestão de zinco, ácido fólico, vitaminas C e E e beta-caroteno.

Depois de levar em conta fatores como idade, consumo de bebidas alcoólicas e histórico médico, os cientistas constataram que os homens com maior ingestão de ácido fólico tinham um nível 19% mais baixo de espermatozóides com número anormal de cromossomos em relação aos homens que ingeriram uma quantidade moderada do nutriente, e 20% menor em relação a homens com baixa ingestão de ácido fólico.

Alerta

"Aumentar a ingestão de ácido fólico pode ser tão simples quanto tomar um suplemento vitamínico com pelo menos 400 microgramas de ácido fólico ou comer no café da manhã cereais fortificados com 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de ácido fólico. Além disso, verduras de folhas verdes tais como espinafre, podem conter até 100 microgramas de ácido fólico por porção", disse Suzanne Young, que coordenou o estudo.

Mas antes que os homens que desejam ser pais comecem a tomar comprimidos com ácido fólico, os pesquisadores chamam a atenção para o fato de que este estudo apenas encontrou uma ligação, não uma relação de causa e efeito entre o ácido fólico e anormalidades cromossômicas.

"Nós não podemos dizer que o aumento de ácido fólico na sua dieta levará a espermatozóides mais saudáveis", disse outro líder do estudo, Andrew Wyrobek, do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley.

"Mas nós conseguimos evidências suficientes para justificar um teste clínico e farmacológico mais amplo em homens para examinar as relações causais entre níveis de ácido fólico na dieta e anormalidades cromossômicas em seus espermatozóides. Esta informação nos ajudará a estabelecer os níveis de ácido fólico na dieta que podem reduzir o risco de defeitos congênitos ligados aos pais."

Os pesquisadores acreditam que se estudos futuros confirmarem a relação da ingestão de ácido fólico com anormalidades em espermatozóides, a IDR dos Estados Unidos de ácido fólico para homens que desejam se tornar pais pode aumentar em relação ao nível atual, de 400 microgramas por dia.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail   Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade