BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 30 de junho, 2004 - 12h07 GMT (09h07 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Celebridades
 
Houve no Brasil uma telenovela de grande sucesso com o nome de Celebridade, que chegou a seu desfecho ainda recentemente, com o habitual espalhafato jornalístico, já que não há muito coisa importante acontecendo no país.

Não sei é se “celebridades” brasileiras podem vir entre debochadas aspas como aqui. Acredito que sim.

É a síndrome revista Hello aqui, Caras aí. Até onde sei, as “celebridades” britânicas são as mais célebres do mundo.

E vale irmão de participante de Big Brother, mulher de técnico de futebol e perdedor (atenção, não é vencedor) de concurso de calouros.

E os prêmios? Não há dia que passe que algum inglês em alguma parte do país não esteja ganhando uma medalha, um diploma, uma estatueta.

Vou a uma genuína celebridade pelos critérios dos dois, ou três ou quatro, lados do Atlântico: Sting, membro da extinta banda Police.

Outro dia mesmo, agora em junho, o rouco loiríssimo discursou durante a entrega do prêmio Mojo.

O prêmio Mojo é muito exclusivo: só umas 200 ou 250 personalidades ligadas ao showbiz (não chamemos de música; música é outra coisa muito diferente) são agraciadas com o cobiçado laurel destinado a incentivar a venda de discos para meninos e meninas entre os 10 e 14 anos de idade.

Sting aproveitou a oportunidade e tacou ficha no mundo.

Criticou-o (ao mundo) severamente, com destaque para as facções em luta no Oriente Médio, que estupidamente não deram a devida atenção à letra da canção por ele composta e gravada, a afamada Desert Rose (ou “Rosa do Deserto”).

Afim de contribuir com os esforços de paz na região, e em homenagem a todos os Mojos do mundo e à nova administração no Iraque, traduzo o melhor que posso os versos mais relevantes da “Rosa do Deserto”. Segurem aí:

“Sonho com a chuva, sonho com jardins nas areias do deserto, acordo em vão, sonho com o amor enquanto o tempo se esvai pela minha mão”.

Pronto. Aí está. Sting falou, disse e cantou (quase que no tom). Agora, parem com isso, facções beligerantes do Oriente Médio.

 
 
Arquivo - Ivan
Leia as colunas anteriores escritas por Ivan Lessa.
 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade