Filhote de leão leva guarda florestal até o cadáver de sua mãe

  • 12 agosto 2014
Filhote de leão (PA)
O filhote agora deve ser integrado a um novo grupo de leões ou ser adptado por uma nova mãe

Um leão filhote levou guardas de um parque florestal na Índia até o cadáver de sua mãe - um comportamento que a equipe do parque descreveu como "incomum".

Um dos guardas da reserva viu o filhote se escondendo nos arbustos e foi levado por ele até a leoa morta em uma montanha próxima.

O filhote ficou, então, guardando o corpo da mãe até que o guarda retornasse com policiais e funcionários do parque para remover o cadáver.

Uma autópsia revelou indícios de que a leoa morreu em uma luta com outros animais, possivelmente búfalos.

Comportamento raro

O Gir Forest National Park and Wildlife Sanctuary - um parque nacional e santuário de animais selvagens - no estado de Gujarat, abriga leões asiáticos. O último censo, de 2010, registrou a presença de 411 leões.

Segundo o vice-diretor do parque, Anshuman Sharma, o comportamento do jovem leão, que tem pouco mais de um ano de idade, foi "raro" e "muito peculiar", algo que ele, depois de anos observando leões, nunca tinha visto.

"Na tarde de sábado, estava fazendo uma patrulha no campo Tulsi-Shyam do santuário quando vi um filhote escondido nos arbustos", disse à BBC o guarda florestal Rana Mori.

Filhotes tão pequenos nunca são encontrados sozinhos. Em geral, estão acompanhados pela mãe. Mori disse que começou a procurar pela leoa.

"Segui o filhote, que me levou até o cadáver da mãe, no topo de uma colina. A princípio, ela parecia estar dormindo".

"Como não se mexia, a cutuquei com minha vara. Foi quando descobri que estava morta", disse.

Quando Mori retornou com uma equipe para remover a carcaça, encontraram o filhote ainda ao lado da mãe.

Hemorragia

A leoa de cerca de 11 anos tinha costelas quebradas e ferimentos internos. Ela morreu por causa de uma hemorragia, disse Sharma.

Um especialista em leões do Instituto de Vida Selvagem da Índia, Yadvendra Dev Jhala, disse à BBC que nunca tinha ouvido falar de um caso parecido envolvendo um leão filhote.

Mas ele disse que, no parque Gir, tem havido pouquíssimos conflitos entre leões e humanos.

"De maneira geral, os leões (que vivem no parque) conhecem bem seus guardas individuais".

O vice-diretor Sharma, por sua vez, explica que leões são conhecidos por seu comportamento social.

"Não são como cachorros, não balançam a pata ou o rabo, mas acreditamos que reconhecem os guardas que veem todos os dias".

Os especialistas em vida selvagem dizem que filhotes com até três anos de idade dependem totalmente de suas mães para sobreviver.

Agora, o filhote órfão, que tem apenas 15 meses de idade, está sob observação constante dos funcionários do parque.

"Aparentemente, a mãe vivia e caçava sozinha. Agora que ela se foi, a expectativa é que o filhote se junte a outro grupo, ou que outra leoa comece a tomar conta dele", disse Sharma.

Notícias relacionadas