BBC navigation

Para Sarkozy, caso contra ele é 'grotesco' e tem intenção de humilhá-lo

Atualizado em  2 de julho, 2014 - 20:49 (Brasília) 23:49 GMT
Nicolas Sarkozy (Reuters)

Ex-presidente francês vê "fins políticos" na investigação envolvendo seu nome

O ex-presidente da França Nicolas Sarkozy disse, após ser detido por suspeita de envolvimento em tráfico de influência, que o sistema judiciário do seu país estaria sendo usado para "fins políticos".

Em uma entrevista à TV, Sarkozy negou ter cometido qualquer ato ilegal.

Ele disse que o caso "grotesco" contra ele teria a intenção de humilhá-lo e prejudicar sua reputação.

Sarkozy é suspeito de ter conseguido ficar a par do andamento de investigações ligadas a processos judiciais anteriores contra ele - em que havia a acusação de financiamento ilegal de campanha - através de uma rede de informantes na polícia e na própria Justiça francesa.

Sarkozy também teria prometido ajudar um juiz da Corte de Cassações, Gilbert Azibert, a obter um cargo prestigioso em Mônaco em troca de informações sobre esses processos.

O ex-presidente foi detido na terça-feira para interrogatório - a primeira vez que a Justiça francesa prende um ex-chefe de Estado.

O correspondente da BBC em Paris Hugh Schofield, disse que Sarkozy acusa membros de esquerda do poder Judiciário de tentar derrubá-lo e evitar seu retorno à política.

'Chocado'

A entrevista, gravada para a rede de TV francesa TF1 e à rádio Europe 1, foi transmitida no início da noite desta quarta-feira.

Nela, Sarkozy disse: "A situação é bem grave, e devo dizer ao povo francês que hoje estamos diante de uma exploração política do sistema judiciário".

"Eu digo a todos aqueles que estão ouvindo ou assistindo que eu nunca trai ou cometi qualquer ato contra os princípios da República e do Estado de direito."

Sarkozy disse que está "profundamente chocado" com a investigação e acusou o sindicato dos magistrados de tentar destruí-lo.

"Tudo está sendo feito para me imputar uma reputação que não é verdadeira", disse.

Ele também se disse indignado com a maneira como foi convocado, dizendo que a detenção formal tinha "uma intenção de humilhá-lo."

Mais cedo, o primeiro-ministro, Manuel Valls, insistiu que a investigação estava sendo realizado de forma independente do governo socialista.

Falando à TV francesa, ele disse que "ninguém está acima da lei", mas acrescentou que é importante lembrar que "há a presunção de inocência."

Financiamento de campanha

Sarkozy foi liberado em torno de meia-noite de terça-feira.

Quando um suspeito é convocado para investigação formal, ele é interrogado por um juiz, que determina se há provas suficientes para mantê-lo sob custódia.

O crime de tráfico de influência pode levar à punição de até 10 anos de prisão e uma multa de 150 mil euros (cerca de R$ 450 mil).

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.