Jogadores croatas se revoltam e torcida se diz "roubada" contra o Brasil

  • 12 junho 2014
Pênalti Brasil X Croácia (Reuters)
Lance polêmico ocasionou o segundo gol do Brasil e virada do placar

Na abertura da Copa do Mundo na Arena Corinthians, em São Paulo, tudo saiu conforme planejado. A torcida brasileira apoiou os jogadores do início ao fim, o jogo entre Brasil e Croácia teve suas pitadas de emoção e, para coroar a noite, a seleção venceu seu primeiro adversário no Mundial por 3 a 1.

Foi tudo conforme o script, só que, para os croatas, isso só foi possível graças a uma "mãozinha" do juiz. O árbitro Yuichi Nishimura gerou polêmica com os jogadores da Croácia, que saíram de campo inconformados com a marcação do pênalti no atacante Fred, na metade do segundo tempo. O lance ocasionou o segundo gol de Neymar na partida e a virada da seleção, que até então estava tendo dificuldades para dominar o jogo.

"Não foi uma decisão, foi um erro, um grande erro. Dois bilhões de pessoas estavam assistindo ao jogo, eu não entendi este juiz, eu acho que este juiz não merecia estar aqui", disse o zagueiro Dejan Lovren, o responsável por "derrubar" Fred na área. "Eu não sei por que ele mereceu estar aqui. E é muito frustrante para nós porque fizemos um bom jogo contra um bom time, que é este do Brasil",

O técnico da Croácia, Niko Kovak, foi enfático ao falar sobre o assunto na entrevista coletiva. "Se alguém viu pênalti, levante a mão", disse o treinador. "Eu não posso levantar a mão. Nenhum dos presentes no estádio ou os 2,5 bilhões que assistiram à partida mundo afora viram pênalti, se for assim, haverá mil pênaltis na Copa. Foi ridículo o que fizeram."

"Não foi pênalti. O juiz errou, mas o Brasil tinha que ganhar, não?", reclamou o meia Kovacic.

Além do pênalti, outro lance revoltou os visitantes logo em sua estreia na Copa do Mundo. Aos 37 minutos, a Croácia chegou a empatar a partida, mas Yuichi Nishimura anulou o gol marcando uma falta do atacante Olic no goleiro Júlio César. Falta que também gerou polêmica entre os croatas.

Torcida croata inconformada

Torcedores da Croácia (BBC Brasil)
Apesar de muitos esperem derrota, torcedores croatas ficaram incorfomados com arbitragem

Do lado de fora do campo, os torcedores croatas endossaram o coro de reclamações dos jogadores. Apesar de muito empolgados por estarem na Copa no Brasil, eles não esconderam a insatisfação com o resultado. E o problema, segundo eles, não foi a derrota - muitos já esperavam por isso -, mas a maneira como ela foi construída.

"Foi um jogo bom, mas teria sido melhor se tivesse sido apitado de maneira correta", disse a croata Vesna à BBC Brasil. "Todo mundo se sentiria melhor desse jeito. Tudo bem se o Brasil ganhasse, mas isso se o juiz tivesse sido justo. Desse jeito parece estranho", reforçou Jane.

Alguns foram até mais fundo e se disseram "roubados" pela arbitragem e pela Fifa. "Não acredito que foi pênalti, definitivamente não. E sobre o gol anulado, se fosse para o Brasil, ele (juiz) teria validado, mas porque foi nosso, ele anulou. Acho que eles nos roubaram", comentou Richi Barbaric.

"O jogo estava vendido. A Fifa é uma máfia", disse outro torcedor, que visivelmente tinha abusado um pouquinho das cervejas no estádio.

Os torcedores brasileiros, por sua vez, deixaram a Arena Corinthians bastante satisfeitos. Sobre os lances polêmicos, as opiniões se dividiram, com alguns dizendo que o pênalti aconteceu e outros admitiram que "toda ajudinha vale" para o Brasil vencer.

Jogadores brasileiros fogem de polêmica

Satisfeitos com a vitória após terem saído atrás no placar, os jogadores da seleção preferiram não entrar na polêmica com os croatas e evitaram opinar o polêmico lance que originou o segundo gol do Brasil.

"Só falei com o Fred lá dentro e ele falou que foi tocado no ombro esquerdo, por isso não conseguiu girar para fazer o chute. Mas estava longe, não vi e não gosto de opinar sem ver", disse o zagueiro David Luiz.

O capitão Thiago Silva também foi pelo mesmo caminho e não admitiu, nem desmentiu o pênalti. Mas para ele, o lance duvidoso não foi o que decidiu o jogo.

"Do ponto de vista de vocês, pode ter sido decisivo. Mas eu não vejo como decisivo, eles estavam sentindo a pressão que estávamos colocando na defesa deles. E uma hora ia sair o gol. Quando você martela, martela, martela, uma hora sai, não tem jeito", opinou.

"As pessoas estão focando muito nesse assunto do árbitro. Foi um jogo de ataque contra a defesa e a Croácia procurando jogar no contra ataque. Se tirar o pênalti, fica 2 a 1", finalizou.

Notícias relacionadas