Arquidiocese do Rio desiste de indenização milionária por Cristo 'italiano'

  • 11 junho 2014
Cristo com a camisa da Itália (Reprodução)
Propaganda promove as transmissões da Copa

Detentora dos direitos de imagem do Cristo Redentor, a Arquidiocese do Rio de Janeiro desistiu da indenização milionária que havia pedido à emissora RAI, que vestiu a famosa estátua com a camisa da seleção italiana em vídeo de promoção da Copa do Mundo.

O caso teve uma grande repercussão no país. O motivo da discórdia é um spot realizado pela agência de publicidade interna da emissora para promover as transmissões dos jogos da Copa do Mundo.

Inicialmente, os advogados tinham previsto uma indenização de sete milhões de euros, considerado como um valor comercial, mas a quantia foi redefinida.

"A Arquidiocese não pretende lucrar com o caso, mas procura uma solução conciliatória", disse à BBC Brasil o advogado italiano Alexandro Maria Tirelli.

O advogado antecipou à BBC Brasil que pensa em pedir 500 mil euros.

"Trata-se de um valor simbólico em relação ao dano real, e que será destinado a obras de caridade no Rio de Janeiro, como já aconteceu em outras situações envolvendo a imagem do Cristo Redentor", disse.

Boa-fé

De acordo com o advogado, a RAI demonstrou boa-fé, retirando a publicidade do ar e colocando-se a disposição para um acordo econômico já na próxima semana.

"Faremos um acordo amigável, em torno de uma mesa, e não diante de um juiz. Esta história não fez bem a ninguém. Criou-se apenas confusão e desconforto", afirmou Tirelli.

A assessoria de imprensa da RAI, no entanto, não confirma que o spot tenha sido retirado do ar por determinação do departamento legal da emissora.

"Temos outros spots que já estavam programados e já estão no ar", disse à BBC Brasil o chefe da assessoria de imprensa, Fabrizio Casinelli.

Sobriedade

O mau humor da comunidade católica contra a publicidade já havia se manifestado.

"Mais sobriedade e menos presunção contribuiriam não só a promover a nacional italiana nos spots publicitários, mas ajudariam também os nossos jogadores, se quisermos chegar a um resultado significativo e não repetir a inglória experiência da Cidade do Cabo, na África do Sul", afirmou em um editorial o diretor da revista Famiglia Cristiana, Dom Antonio Sciortino, referindo-se ao desempenho da Itália na última Copa do Mundo.

Para o capelão da RAI, monsenhor Antonio Interguglielmi, criou-se uma polêmica excessiva em torno ao caso.

"Não há dúvidas de que o Cristo com a camiseta de Cassano (jogador com a camisa 10) seja um pouco blasfemo, mas eu não faria disto uma questão monetária. Certamente é prudente retirar do ar a publicidade, mas bastariam as desculpas oficiais sem levantar tanta poeira e, muito menos, sem solicitar dinheiro como recompensa", disse ao jornal Il Fatto Quotidiano.

'Gol contra'

Nas redes sociais o debate sobre a publicidade ganhou força após o pedido de indenização feito pela Arquidiocese do Rio.

Alguns internautas italianos dizem que a RAI marcou um "gol contra", por julgarem o spot publicitário prepotente e desrespeitoso à imagem de Cristo.

Outros tratar-se de uma questão sem importância diante dos problemas que afligem as favelas cariocas.

Notícias relacionadas