Premiês da Índia e Paquistão realizam encontro histórico

  • 27 maio 2014
Narendra Modi e Nawaz Sharif (Reuters)
Nawaz Sharif (dir.) foi à posse do premiê indiano, Narendra Modi; É a 1ª vez que isso ocorre em 67 anos

O novo primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, pediu ao primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, que ele aja contra militantes e acelere o julgamento dos suspeitos pelos ataques de 2008 em Mumbai, na Índia.

A conversa ocorreu no primeiro dia de Modi no cargo.

Sharif compareceu à cerimônia de posse do primeiro-ministro indiano na segunda-feira, na esperança de melhorar a relação entre as duas nações rivais, que já disputaram três guerras entre si.

Foi a primeira vez em que um primeiro-ministro de um destes dois países participou da cerimônia de posse do primeiro-ministro da outra nação desde que Índia e Paquistão conseguiram sua independência do Reino Unido, em 1947.

'Legado de desconfiança'

O líder paquistanês disse que os dois países deveriam deixar o "legado de desconfiança" entre os dois países para atrás e trabalhar em prol da paz e da estabilidade.

Modi ainda "destacou sua preocupação com o terrorismo", segundo o ministro de Relações Exteriores da Índia, Sujatha Singh.

"Foi dito que o Paquistão deve cumprir seu compromisso para prevenir que seu território e os territórios sob seu controle sejam usados em atos terroristas contra a Índia."

Os dois lados também trataram de suas relações comerciais, e "Modi disse que os dois países podem trabalhar imediatamente para normalizar seus laços" nesta área, de acordo com Sigh.

O ministro indiano ainda acrescentou que secretários de ambas as nações se encontrariam em breve para fazer com que a agenda bilateral entre Paquistão e Índia avance.

'Clima cordial'

Pedido de paz entre Índia e Paquistão (AFP)
Encontro abre caminho para a paz entre as nações

Em um breve pronunciamento, Sharif descreveu as conversas como "boas e construtivas" e disse que elas ocorreram em meio a "um clima cordial".

"Concordamos que nosso encotnro em Dheli deveria ser uma oportunidade histórica para ambos os países...Isso cria para nós a chance de conciliar as esperanças e aspirações de nossos povos para que consigamos virar uma página em nossas relações", disse Sharif.

Índia e Paquistão são duas potências nucleares e têm uma longa história de desconfiança mútua.

O partido Bharatiya Janata (BJP), liderado por Modi, defende uma postura mais dura da Índia em relação ao Paquistão.

O próprio primeiro-ministro indiano é visto com desconfiança por muitos paquistaneses por causa dos protestos de 2002 contra muçulmanos no estado indiano de Gujarat, que era governado por Modi na época.

Mas, num gesto surpreendente, Modi convidou Sharif na semana passada para sua cerimônia de posse e para um encontro.

Outros encontros

Nesta terça-feira, Modi também se encontrou com o presidente afegão, Hamid Karzai. Segundo o ministro Sigh, o primeiro-ministro indiano agradeceu a Karzai por sua ajuda após o ataque a uma missão diplomática na província de Herat, no Afeganistão.

Narendra Modi e Mahinda Rajapakse (AFP)
Modi ainda se reuniu com o presidente do Sri Lanka

Em uma entrevista concedida a uma emissora indiana na última segunda-feira, Karzai atribuiu a culpa do ataque no grupo extremista Lashkar-e-Taiba, que é baseado no Paquistão.

A Índia também culpou este grupo pelos ataques em Mumbai.

Ainda houve encontros entre Modi e o presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapaksa, o primeiro-ministro do Nepal, Sushil Koirala, e líderes das Maldivas, do Butão, das Ilhas Maurício e de Bangladesh.

Notícias relacionadas