A beleza microscópica de pétalas e folhas

13 maio 2014 Atualizado pela última vez 07:48 (Brasília) 10:48 GMT

Dupla formada por fotógrafo e bióloga transforma plantas em imagens artísticas.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Formações bizarras e inesperadas - como nessa for de camomila - foram capturadas pela premiada dupla 'Eye of Science' (Olho da ciência), formada pelo fotógrafo Oliver Meckes e pela bióloga Nicole Ottawa.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Por uma década, eles trabalharam com um antigo microscópio eletrônico de varredura, mas nos últimos cinco anos, vêm usando um equipamento de última geração. Na foto, a estrutura delicada de uma flor chamada valeriana.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Pequenos pedaços de pétalas ou folhas são desidratados para que suas superfícies fiquem sensíveis e extremamente finas, mas preservando seu estado natural e a estrutura das células.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Todo material ganha é banhado a ouro antes de ir para o scanner. Essa imagem de uma pétala de rosa mostra uma estrutura conhecida como papila, responsável por dar brilho às pétalas.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Aqui, o objeto de estudos da dupla - que vive na Alemanha - é uma pétala de uma flor conhecida como colza.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
"Flores são lindas naturalmente, mas quando vistas bem de perto, algumas partes se tornam muito bizarras, e nos deparamos com estruturas inesperadas - flores dentro de flores, mundos dentro de mundos", diz Meckes. Na foto, a flor de uma Tussilago farfara.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
A dupla também usou o equipamento para fazer imagens artísticas de bactérias, parasitas, borboletas, ervas, veneno de plantas, entre outros materiais, como um estame de tília visto na foto.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
Nessa imagem, grãos de pólen são vistos no estigma de em uma flor de arnica. Esses grãos ficam no estigma e desenvolvem tubos polínicos (na direita da foto), possibilitando a fecundação na planta.
As formações bizarras e inesperadas de algumas flores vistas por uma dupla formada por um fotógrafo e uma bióloga.
"Trabalhar com dimensões microscópicas mudou totalmente nossa visão do mundo", afirma Meckes.