BBC navigation

MH370: Navio verifica sinais captados por chineses

Atualizado em  6 de abril, 2014 - 21:37 (Brasília) 00:37 GMT
O navio britânico HMS Echo (PA)

HMS Echo fará buscas em área onde chineses captaram sinais de pulso

Um navio da Grã-Bretanha, o HMS Echo, equipado com equipamentos sofisticados, chegou na área onde um navio chinês, que participava da busca pelo avião desaparecido da Malaysia Airlines, captou sinais de pulso duas vezes.

O HMS Echo chegou na tarde deste domingo para investigar uma região onde a profundidade do mar é estimada em cerca de 4,5 quilômetros.

O navio australiano Ocean Shield está investigando um possível terceiro sinal em outro lugar da grande área de buscas pela aeronave desaparecida desde o dia 8 de março com 239 pessoas a bordo.

Os dois navios estão equipados com localizadores de caixas-pretas de alta tecnologia mas nenhum confirmou que os sinais vinham da caixa-preta do voo MH370.

A equipe australiana que coordena os esforços de busca pelo avião desaparecido disse neste domingo que novas análises de dados de satélite significam que os esforços agora vão se concentrar na parte sul da zona de buscas, perto do local onde está o navio chinês.

E, apesar de a equipe australiana ter afirmado que os sinais captados são pistas "importantes e animadoras", ainda não foi confirmada a descoberta de nenhum destroço do avião.

Neste domingo, milhares de pessoas, incluindo familiares dos passageiros desaparecidos, participaram de uma cerimônia na capital da Malásia, Kuala Lumpur.

"Não é uma oração pelos mortos, pois não encontramos corpos. Esta é uma oração pedindo bençãos e para que o avião seja encontrado", disse Liow Tiong Lai, presidente da Associação Malaia Chinesa, um dos partidos que participam da coalizão de governo da Malásia.

'Promessa'

O marechal-chefe-do-ar Angus Houston confirmou que o navio chinês Haixun 01 detectou dois sinais sonoros no sábado, mas afirmou que até o momento não há provas de que estejam ligados ao voo MH370 da Malaysia Airlines.

O segundo sinal, captado a dois quilômetros de distância do primeiro, teria durado cerca de 90 segundos, acrescentou o marechal australiano, que coordena as buscas.

"O fato de termos tido duas detecções - dois eventos acústicos - naquele local nos dá alguma promessa", disse.

Mas, Houston disse que estes sinais foram "encontros passageiros" que não poderiam ser verificados até a chegada do HMS Echo e do Ocean Shield no local. E também lembrou que a área de buscas é muito grande.

AP

Milhares de pessoas em Kuala Lumpur fizeram orações pelos desaparecidos do voo MH370

"Nós estamos trabalhando em um oceano enorme e em uma área de buscas também muito grande. E desde que o avião desapareceu tivemos muito poucas pistas que nos permitiram reduzir esta área de buscas", afirmou.

Ainda segundo ele, os navios HMS Echo e o australiano Ocean Shield, além de aviões, estão sendo deslocados para a área onde a embarcação detectou os sinais no sábado.

Houston afirmou que o Ocean Shield está investigando o outro sinal que teria identificado em sua localização atual, a cerca de 300 milhas náuticas (560 quilômetros) de onde está o HMS Echo.

Cerca de doze aviões militares e 13 navios realizam buscas neste domingo em uma área de 216 mil quilômetros quadrados a noroeste da cidade australiana de Perth, de onde a missão está sendo coordenada.

30 dias

Segundo a agência Xinhua, o primeiro sinal captado pelo navio chinês tinha frequência de 37,5kHz por segundo, o mesmo que geralmente é emitido por caixas-pretas.

De acordo com o jornal chinês Liberation Daily, três pessoas a bordo teriam ouvido o sinal mas não o gravaram, porque ele teria "vindo repentinamente".

As equipes têm pouco tempo para buscar estes equipamentos, porque as baterias das caixas-pretas costumam durar apenas cerca de 30 dias.

O voo MH370 fazia a rota de Kuala Lumpur, na Malásia, a Pequim, na China, quando desapareceu.

Tudo indica que o avião caiu no sul do Oceano Índico.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.