Com 1 milhão de sírios, refugiados no Líbano já são quase 1/4 da população

  • 3 abril 2014
Família de refugiados sírios espera registro sede da agência de refugiados da ONU em Trípoli, norte do Líbano (AP)
Segundo agência da ONU, número de refugiados sírios chegando ao Líbano está acelerando

O número de refugiados sírios registrados no Líbano ultrapassou nesta quinta-feira a marca de 1 milhão, diz a ONU, fazendo com que essa população represente quase um quarto do total de pessoas no país.

Segundo a agência de refugiados das Nações Unidas, a UNCHR, apenas três anos depois de a guerra na Síria ter começado, o Líbano já se transformou no país com a mais concentração per capita de refugiados do mundo todo.

O Líbano tem uma população de 4,4 milhões de pessoas, segundo estimativas de 2012.

"O fluxo de 1 milhão de refugiados seria gigantesco em qualquer país. Para o Líbano, um país pequeno assolado por dificuldades internas, o impacto é impressionante", disse o alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Antonio Guterres.

"O povo libanês demonstrou uma generosidade admirável, mas eles estão lutando para dar conta. O Líbano abriga a maior concentração de refugiados da história recente. Não podemos deixar (o país) suportar esta carga sozinho", acrescentou.

Casas abandonadas

Cerca de 9,5 milhões de pessoas - quase metade da população da Síria - abandonaram as próprias casas desde que o conflito no país começou.

Mais de 2,5 milhões de sírios fugiram do país rumo a vizinhos como Líbano, Turquia, Jordânia, Iraque e Egito, entre outros.

Mas é o Líbano que está recebendo os maiores números de refugiados sírios - e o fluxo está acelerando, segundo a agência de refugiados da ONU.

A agência afirmou, em comunicado divulgado nesta quinta-feira, que, em abril de 2012, havia 18 mil refugiados sírios no país. Agora, em abril de 2014, já são 1 milhão de refugiados sírios no Líbano.

E, cada dia, funcionários do órgão da ONU registram 2,5 mil novos refugiados.

Mais que 1 milhão

"O Líbano é o menor e mais vulnerável entre os vizinhos da Síria, mas é, de longe, o que recebeu o número maior de refugiados - um para cada quatro libaneses ", relata Jim Muir, correspondente da BBC em Beirute, explicando que, extraoficialmente, se acredite que o número de refugiados sírios no país supere 1 milhão.

Segundo Muir, o Ministério do Exterior libanês disse em março que a grande quantidade refugiados está ameaçando a existência do Líbano.

E, para piorar, o correspondente afirma que a ONU recebeu apenas 14% dos US$ 6,5 bilhões em verbas que pediu.

"Isso significa que a ajuda teve que ser cortada e direcionada cuidadosamente para os mais necessitados", disse.

Para piorar a situação, o Líbano abriga também 450 mil palestinos, muitos vivendo em 12 campos de refugiados.

Segundo a agência de refugiados da ONU, o impacto do grande número de refugiados no Líbano é "imenso".

"O país tem passado por choques econômicos graves devido ao conflito na Síria, incluindo a queda no comércio, turismo e investimentos e um aumento nos gastos públicos. Os serviços públicos estão com dificuldades para atender ao aumento da demanda", afirmou a agência.

O Banco Mundial estima que a crise na Síria tenha custado ao Líbano US$ 2,5 bilhões em perda de atividade econômica no ano passado e ameaça levar 170 mil libaneses à pobreza até o final de 2013, pois o valor dos salários está diminuindo e as famílias estão tendo dificuldades para se manter.

A guerra civil na Síria, entre rebeldes e o governo do presidente Bashar al-Assad, também estimulou as tensões sectárias no Líbano, que tem grandes populações de muçulmanos xiitas e sunitas.

Centenas de pessoas em Beirute e outras partes do país foram mortas devido à violência entre oposicionistas e partidários de Assad.

Notícias relacionadas