Político dos EUA se desculpa por congestionamento para prejudicar rival

  • 9 janeiro 2014
Chris Christie
Chris Christie era um dos mais cotados republicanos para disputar a Casa Branca

O governador do estado americano de Nova Jersey, Chris Christie, pediu desculpas em público e demitiu uma assessora que aparentemente orquestrou um grande congestionamento em uma ponte para prejudicar um rival democrata.

Christie - um dos republicanos mais cotados para disputar a Casa Branca na próxima eleição presidencial - disse que o escândalo lhe causou "vergonha e humilhação".

Para alguns analistas, o escândalo pode ser muito prejudicial - ou mesmo fatal - para as ambições de Christie no pleito de 2016.

A polêmica começou em 9 de setembro, quando duas das três pistas que levam à ponte George Washington, que liga Nova Jersey a Manhattan, ficaram bloqueadas por diversos dias.

O fechamento das pistas causou congestionamento na região de Fort Lee, cujo prefeito democrata havia rejeitado apoiar Christie em sua última campanha pela reeleição.

E-mails tornados públicos na quarta-feira parecem ligar a principal assessora de Christie, Bridget Anne Kelly, ao fechamento das pistas.

"Hora de problemas no trânsito de Fort Lee", escreveu Kelly em 13 de agosto a David Wildstein, indicado de Nova Jersey à Autoridade Portuária, que controla a ponte George Washington.

"Entendido", respondeu Wildstein, que mais tarde foi forçado a renunciar ao cargo.

Demissão

Nesta quinta, Christie disse não ter nenhuma relação com o fechamento das pistas e atribuiu a culpa a assessores que "o enganaram".

Ponte George Washington
Ponte teve pistas fechadas, causando congestionamento

"Estou envergonhado e humilhado pela conduta de algumas pessoas da minha equipe", disse o governador, em entrevista coletiva, ao anunciar a demissão de Kelly. "Não tive nenhum conhecimento ou envolvimento nesse tema, nem em seu planejamento nem na excução."

Ele também se disse "chocado pela estupidez" do episódio.

Também nesta quinta, o promotor estadual de Nova Jersey abriu um inquérito sobre o caso.

Até então, o governo e funcionários da Autoridade Portuária haviam argumentado que a decisão de fechar duas pistas era baseada em um estudo viário.

Questionado a respeito de uma mulher de 91 anos que supostamente morreu porque o atendimento emergencial ficou preso no congestionamento, Christie disse que o ocorrido é "horrível", mas agregou que não está claro se o atraso da ambulância contribuiu para sua morte.

Christie também pretendia ir a Fort Lee pedir desculpas pesssoalmente ao prefeito Mark Sokolich, o qual declarou que o episódio "exemplifica o lado mais venenoso e mesquinho da política".

Popularidade

Chris Christie desfrutava até agora de grande popularidade em Nova Jersey, sobretudo após sua resposta - considerada eficiente - à supertempestade Sandy.

Ele é tido como carismático e moderado (o que faz com que seja odiado pelos conservadores de seu partido e temido pelos democratas) e conseguiu vitórias em redutos tradicionalmente aversos a republicanos.

O escândalo envolvendo a ponte estoura justamente no momento em que esperava-se que Christie iniciasse um tour pelos EUA em seu papel como presidente da Associação Republicana de Governadores.

Agora, resta saber o quanto o episódio prejudicará suas ambições rumo à Casa Branca.