Grã-Bretanha planeja compensar cheques por meio de smartphones

  • 26 dezembro 2013
Simulação de desconto virtual de cheque na Grã-Bretanha (foto: BBC)
Tecnologia permitirá que os cheques sejam conferidos em prazo de dois dias

Um plano para permitir que clientes de bancos depositem cheques em suas contas por meio de fotos tiradas por telefones celulares foi apresentado na Grã-Bretanha.

Em vez de ir ao banco pessoalmente, os clientes poderão tirar uma fotografia do cheque enviá-la eletronicamente.

O governo está analisando a ideia com o objetivo e fazer eventuais mudanças legais.

A tecnologia permitirá que os cheques sejam conferidos em um prazo de dois dias, ao invés dos seis em vigor atualmente.

Os bancos dizem que o novo método de transferência será mais conveniente e mais seguro.

"Mudar para um mundo virtual vai proporcionar uma experiência mais segura para o cliente em relação ao que o papel oferece hoje", disse Antony Jenkins, o executivo chefe do banco Barclays.

Fotos como essa não deverão ser armazenadas nos telefones, para evitar riscos caso os aparelhos sejam roubados ou furtados.

Uma tecnologia similar foi introduzida nos Estados Unidos nove anos atrás, logo após o ataque ao World Trade Center.

Uma nova lei conhecida como Check 21 foi aprovada, para permitir a bancos processar cheques eletronicamente – ao invés de transportar versões de papel pelo país.

Cheques

O governo diz acreditar que uma mudança na lei na Grã-Bretanha pode estimular as pessoas a continuarem usando os cheques.

O Conselho de Pagamentos da Grã-Bretanha planejava abolir o uso dos cheques até 2018, mas foi obrigado a voltar atrás após oposição popular.

"Nós queremos ver mais inovações de uma forma que o consumidor ache benefícios nas novas tecnologias", disse Sajid Javid, o secretário financeiro do Tesouro.

"Queremos que os cheques exerçam um papel crucial no sucesso corrente da Grã-Bretanha", afirmou.

Em 2012, 10% de todos os pagamentos de pessoas físicas foram feitos por meio de cheques. Esse índice chegou a 25% no caso de pessoas jurídicas.

O setor diz que a maior parte dos jovens correntistas já usam sistemas eletrônicos de pagamento e raramente emitem cheques.

Entretanto, todos os clientes ainda serão capazes de fazer pagamentos em cheque usando meios tradicionais, como enviá-los pelo correio ou pessoalmente até o banco.

Fechamento de agências

O Barclays está planejando lançar um programa piloto para pagamentos em cheques por telefones celulares a partir de abril de 2014.

A instituição espera extender o recurso para todos os clientes durante o ano.

Mas a nova tecnologia deve levantar novas questões sobre o tamanho dos bancos, uma vez que os clientes estão usando cada vez mais serviços por seus computadores e telefones celulares.

No mês passado o Barclays anunciou o fechamento de 1.700 postos de trabalho em suas agências de rua, como um resultado direto da tecnologia móvel.

A instituição já fechou em 2013 pelo menos 37 agências (a maioria no primeiro semestre). "Eu acho que as pessoas vão às agências cada vez menos, especialmente como um resultado do uso de serviços bancários pelo telefone celular, e isso vai acelerar o processo", disse Antony Jenkins.

Um porta-voz da empresa disse que seus clientes sempre poderão descontar cheques pessoalmente, se quiserem.