BBC navigation

Cientistas querem 'acordar' sonda para investigar cometa

Atualizado em  11 de dezembro, 2013 - 09:20 (Brasília) 11:20 GMT
Philae | Crédito: ESA

Nave espacial Rosetta deverá viajar até o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko e nele depositar sonda

Cientistas americanos esperam poder "acordar" uma sonda espacial que está "hibernando" há dois anos para investigar um importante cometa do sistema solar.

Em janeiro, eles vão tentar reinicializar a nave espacial Rosetta de modo a fazê-la viajar até o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko.

Quando a nave alcançar a imensa massa de gelo e pedra, a equipe tentará pousar uma sonda na superfície do cometa.

Os detalhes dessa operação foram anunciados na terça-feira em um encontro de outono organizado pelo Sindicato dos Geofísicos dos Estados Unidos.

Matt Taylor, cientista responsável pelo projeto Rosetta, da Agência Espacial Europeia (Esa), afirmou: "Isso nunca foi feito antes. Em primeiro lugar, você tem uma enorme dificuldade de acordar a nave. Depois, de fazê-la se aproximar do cometa. Por fim, é preciso garantir um bom pouso".

Jornada épica

A sonda Rosetta foi lançada em março de 2004 e percorreu uma longa trajetória através do Sistema Solar.

A nave orbitou a Terra três vezes e, em seguida, passou perto de Marte para pegar impulso e ser colocada na rota do Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko .

Depois de viajar milhões de quilômetros, e cruzar com dois asteróides, a nave foi colocada em sono profundo, em junho de 2001.

Esse período de "hibernação" foi útil para que a sonda poupasse energia para sua jornada mais arriscada.

Acordá-la novamente, no entanto, será "estressante", afirmou Taylor à BBC.

"Ela tem um despertador interno ... o relógio diz quando é hora de acordar", acrescentou.

A data e a hora para que a nave Rosetta acorde do sono profundo já estão marcadas: 10h00 GMT (08h00 em Brasília) do dia 20 de janeiro de 2014.

No entanto, esse processo pode ser lento, uma vez que a sonda permaneceu inativa por longo tempo, alertam os especialistas.

O computador de bordo será o primeiro a ser "acordado" para que logo em seguida os pesquisadores possam estabelecer a posição da nave.

Ela terá, então, de corrigir sua posição, uma vez que permaneceu em rotação durante todo o tempo que passou "hibernando".

"Esperamos receber os primeiros sinais da nave à noite", disse Taylor.

"Será um dia longo. Acho que haverá um monte de cientistas andando para cima e para baixo, enquanto esperamos."

Os cientistas esperam que a nave consiga alcançar o cometa em agosto do ano que vem.

Em novembro, terá início a fase mais perigosa do processo, quando os pesquisadores vão tentar pousar uma sonda robótica - Philae - sobre a superfície gelada.

"Nós temos um monte de pessoas que trabalham com isso, para garantir que as trajetórias estejam corretas", disse Taylor.

Se o desembarque for bem sucedido, o robô irá recolher amostras e registrar imagens quando o cometa se aproximar do Sol em 2015.

Os cientistas esperam que isso possa ampliar os conhecimentos sobre esse tipo de corpo celeste, descrito pela Agência Espacial Europeia como "uma bola de neve suja", com um núcleo de cerca de 4 km de diâmetro.

Leia mais sobre esse assunto

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.