Aposentadoria de astro do esporte para a Índia

  • 16 novembro 2013
Sachin Tendulkar, astro de críquete na Índia | Crédito: Reuters
Último jogo de Tendulkar, em Mumbai, parou a Índia

O indiano Sachin Tendulkar tem na Índia status de celebridade. Por 24 anos, ele colecionou vitórias e fãs como o mais aclamado jogador de críquete do país. Ao deixar o esporte, após um jogo nesta sexta-feira, o atleta mostrou mais uma vez a força de seu prestígio: sua aposentadoria parou a Índia.

Importado da Inglaterra, da qual o país foi colônia, o críquete é um das maiores paixões nacionais, levando milhares aos estádios, tal como o futebol no Brasil.

O esporte, jogado com tacos, guarda semelhanças com o beisebol americano. O objetivo é marcar mais runs (corridas) que o time opositor.

A última partida da carreira profissional de Tendulkar gerou tanto interesse na Índia que um dos sites que vendia entradas para o evento entrou em colapo após receber 19,7 milhões de acessos na primeira hora de venda dos ingressos.

Devido à alta demanda, houve protesto dos torcedores, uma vez que somente 5 mil dos 33 mil ingressos para o jogo entre as seleções da Índia e das Índias Ocidentais (seleção que reúne 15 países do Caribe, entre ex-colônias britânicas e territórios ultramarinos do Reino Unido) foram colocados à venda para o público. O restante dos assentos do estádio de Wankhede, em Mumbai, no oeste do país, foi destinado para políticos, celebridades, ex-jogadores e convidados de empresas.

Estrela do esporte

Tendulkar foi notícia em 2011, quando ajudou a Índia a ganhar a Copa mundial de críquete.

A área que cerca o campo está coberta de cartazes e outdoors do jogador, apelidado de "o pequeno mestre".

A esposa de Tendulkar, Anjali, brincou recentemente que a família precisará de um museu para reunir todos os presentes e outras recordações que a estrela do críquete já recebeu.

A partida final acabou com a expectativa que começou há um mês quando o jogador confirmou que o jogo contra as Índias Ocidentais seria o último de sua trajetória esportiva.

Carreira memorável

Há muito tempo, a popularidade de Tendulkar, de 40 anos, ultrapassou os limites dos estádios de críquete, especialmente em sua cidade natal, Mumbai.

O talento que ele demonstrou desde o primeiro dia de atividade, em 1989, quando tinha somente 16 anos, além de uma vida marcada por polêmicas logo o tornaram um imã de anunciantes, políticos e, sobretudo, do povo da Índia.

As homenagens de seus contemporâneos já começaram. Jogador da seleção das Índias Ocidentais, Brian Lara disse que Tendulkar representa para o críquete o que Muhammad Ali representa para o boxe e Michael Jordan para o basquete.

"Ele tem uma carreira memorável e é o melhor jogador de todos os tempos", afirmou Lara.

Sachin Tendulkar, astro de críquete na Índia | Crédito: AFP
Tendulkar é considerado o maior atleta do críquete da Índia

Já o ex-jogador da seleção australiana, Shane Warne, disse que "não haverá outro Sachin Tendulkar. Foi o melhor batedor da minha geração".

Para o astro de Bollywood, Amitabh Bachchan, ele é o maior ícone da Índia atualmente.

"Quando falamos sobre o Japão, a primeira coisa que vem à cabeça são os eletroeletrônicos. No Brasil, é o futebol. Na Índia, Sachin Tendulkar. Ele personifica a identidade desta nação de muitas maneiras."

Recentemente, surgiram rumores de que, agora longe dos gramados do críquete, Tendulkar poderia se tornar ministro de Esportes da Índia.

"Essa decisão beneficiaria o país", diz o lutador Sushil Kumar, que ganhou medalha de bronze nas Olimpíadas de Pequim e de prata em Londres.

"Ele não apenas se concentraria nos jogadores de críquete, mas respeitaria todos os atletas da mesma forma. Tendulkar tem sido a nossa maior inspiração e temos certeza de que ele iria desempenhar esse papel muito bem", afirmou Kumar.