BBC navigation

Rússia propõe que Síria entregue armas químicas

Atualizado em  9 de setembro, 2013 - 14:11 (Brasília) 17:11 GMT
Equipe de inspetores da ONU na Síria

Equipe de inspetores da ONU investigou uso de armas químicas na Síria

A Rússia pediu nesta segunda-feira que a Síria transfira o seu arsenal químico para o "controle internacional" em uma tentativa de evitar uma ação militar americana.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que a proposta foi apresentada durante conversas em Moscou com o chanceler da Síria, Walid Muallem.

Lavrov afirmou que espera uma resposta rápida de Damasco, e o ministro sírio disse apenas que vê a proposta russa com bons olhos.

“A Síria saúda a proposta russa por se preocupar com as vídas dos sírios, com a segurança do nosso país, e porque acredita na sabedoria da liderança russa, que busca evitar uma agressão americana contra nosso povo”, disse Muallen.

O presidente sírio, Bashar al-Assad, nega ter usado armas químicas durante ataques a grupos opositores em seu país.

Os Estados Unidos planejam lançar uma ação militar contra o regime de Assad, que o governo americano acusa de cometer crimes de guerra durante o conflito na Síria.

Retórica

Nesta segunda-feira, o secretário americano, John Kerry, que viajou à Europa em busca de apoio para uma intervenção militar, reafirmou que não fazer nada contra o regime sírio é mais arriscado do que lançar uma ofensiva militar.

Questionado em uma coletiva se havia algo que Assad poderia fazer para evitar um ataque, Kerry respondeu que o líder sírio poderia entregar todo o seu arsenal químico dentro de uma semana.

Mas, poucos minutos depois, autoridades americanas afirmaram que a declaração de Kerry era muito mais um "argumento retórico" do que propriamente uma oferta.

Mais tarde, no entanto, Lavrov pediu que a Síria "coloque as armas químicas sob controle internacional para que elas possam ser destruídas".

O chanceler russo disse não saber se o governo sírio vai concordar com a proposta, mas acrescentou que espera uma resposta positiva.

Nações Unidas

Em Nova York, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que planeja pedir ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que exija a transferência imediata das armas químicas da Síria para locais onde elas possam ser armazenadas de forma segura e então destruídas.

Ban também pediu que a Síria aceite aderir à convenção internacional contra armas químicas, um tratado que o regime sírio nunca assinou.

O secretário-geral da ONU fez essas declarações ao ser questionado sobre a iniciativa russa de pedir que a Síria entregue o seu arsenal químico ao controle internacional.

No final desta semana, uma equipe de inspetores da ONU que visitou a Síria deve entregar a Ban Ki-moon um relatório sobre as alegações de uso de armas químicas no país.

Aliado

A Rússia tem sido o principal aliado internacional do regime de Assad, que enfrenta uma guerra civil há cerca de dois anos e meio.

O governo russo já bloqueou três resoluções contra a Síria no Conselho de Segurança da ONU e rejeitou evidências de que as forças de Assad seriam responsáveis por um ataque químico em Damasco no dia 21 de agosto.

Os Estados Unidos acusam as forças do governo sírio de usar gás venenoso para matar 1.429 pessoas no ataque do último dia 21.

O regime de Assad atribui o ataque a grupos rebeldes que lutam para derrubar o líder sírio em um conflito que já deixou cerca de 100 mil mortos, de acordo com números divulgados pela ONU.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.