Transporte ao estádio é ponto fraco na avaliação de estrangeiros

  • 28 junho 2013
Ônibus em BH / Reuters
Transporte aos estádios obteve a avaliação positiva mais baixa entre os estrangeiros que vieram para a Copa das Confederações.

O transporte aos estádios das seis cidades-sede da Copa das Confederações obteve a menor avaliação positiva dos estrangeiros que visitaram o país para o torneio, informou nesta sexta-feira uma pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo.

Segundo resultados preliminares do levantamento, 61,5% dos estrangeiros entrevistados avaliaram positivamente o quesito, taxa inferior, por exemplo, à dos serviços de alimentação e bebida (64,9%), à do processo de compra de ingressos (69,6%) e à da sinalização do estádio (78,8%).

Para a pesquisa, foram feitas cerca de 14 mil entrevistas, sendo 4 mil nos aeroportos e 10 mil nos estádios, hotéis e locais de retirada de ingressos (625 em cada uma das 16 partidas).

Até agora, o Ministério do Turismo diz já ter processado as respostas de 106 entrevistados nos aeroportos (São Paulo, Brasília e Fortaleza) e de 2 mil nos estádios.

As entrevistas nos aeroportos foram feitas exclusivamente com visitantes estrangeiros nas seis cidades-sede da Copa das Confederações (Salvador, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro, Recife e Belo Horizonte).

Para cerca de 70% desses entrevistados, o torneio foi o principal motivo da viagem ao Brasil. Em média, os estrangeiros permaneceram ou pretendiam permanecer 14 pernoites no país.

Grande parte deles veio acompanhada de amigos (36,2%) ou de colegas de trabalho (33,3%).

Se na avaliação geral dos estrangeiros, o transporte para os estádios registrou a menor incidência positiva, no tocante à infraestrutura das cidades-sede, o quesito voltou a ser objeto de reclamação.

Mais mais da metade dos estrangeiros (55,3%) avaliou negativamente os transportes públicos. Já os serviços de táxi (83,1%) e a limpeza pública (78,3%) obtiveram avaliações positivas.

Em termos de serviços turísticos, o atendimento no idioma ao turista foi o serviço de menor incidência positiva (56,6%). Do outro lado, nove em cada dez estrangeiros avaliaram positivamente os restaurantes.

Já em relação aos preços, a alimentação dentro dos estádios (49,3%) e os meios de hospedagem (53,8%) foram os itens com menor avaliação positiva por parte dos estrangeiros. Grande parte dos turistas de fora do país (81%) viram com bons olhos o custo do transporte até o destino e do transporte público.

Público geral

A pesquisa revelou que a média geral dos visitantes de outros lugares do Brasil e do exterior permaneceu ou pretendia permanecer 3 pernoites na cidade-sede. Cerca de 37% deles não pernoitou no local onde os jogos foram realizados.

Os preços dos restaurantes (79,5%), táxis (69,4%), meios de hospedagem (68,4%), ingressos (64,9%) e transporte público (62,5%) foram avaliados de forma positiva por este público.

Já o preço da alimentação dentro dos estádios foi considerado ruim ou muito ruim pela maior parte dos participantes (78,1%).