BBC navigation

Comércio global de bens e serviços 'criativos' bate recorde

Atualizado em  16 de maio, 2013 - 09:18 (Brasília) 12:18 GMT
Jovem com smartphone (Foto Reuters)

Alta do comércio de produtos 'criativos' refletiria mudanças no estilo de vida em diversos países.

Mesmo em meio à crise, o comércio global dos chamados bens e serviços "criativos" - categoria que inclui artigos multimídia, músicas, livros, filmes, obras de arte, trabalhos de design gráfico, moda e design de interiores - cresceu 11%, de US$559 bilhão (R$ 1,1 trilhão), em 2010, para o recorde de US$ 624 bilhões (R$ 1,2 trilhões), em 2011.

A informação foi incluída no relatório Global Database on the Creative Economy (Base de Dados Global sobre a Economia Criativa), divulgado pela Unctad, a agência da ONU para temas de comércio e desenvolvimento, antecipando os debates sobre o tema que devem ocorrer no Fórum Global de Serviços de Pequim, nos dias 28 e 29 de maio.

Segundo a Unctad, com o crescimento recente, o volume de recursos movimentados pelo setor já superou o nível pré-crise de 2008.

Só o comércio de serviços "criativos" - como arquitetura, design e propaganda - teria triplicado desde de 2002, passando de US$ 62 bilhões (US$ 125 bilhões) para US$ 172 bilhões (R$ 348 bilhões) em 2011. No mesmo período, o comércio de produtos com conteúdo "criativo" mais que dobrou.

Em um ranking de volume de comércio do setor, o Brasil ficou em apenas 22º lugar, atrás de países como México e Índia.

Ainda assim, de 2002 a 2011 as exportações e importações de bens e serviços "criativos" do país aumentaram 4 vezes, de US$ 69 bilhões (R$ 139 bilhões) para US$ 282 bilhões (R$ 571 bilhões).

Causas

De acordo com a agência da ONU, parte do aumento do comércio global da "economia criativa" pode ser atribuído a um aprimoramento das estatísticas sobre esse fluxo em diversos países.

O bom momento vivido pelo setor, porém, também refletiria o estilo de vida contemporâneo e a crescente importância das "redes sociais, inovação, conectividade, estilo, marca, status, experiências culturais e co-criações".

O maior exportador e importador de bens e serviços criativos hoje seria a China, embora muitos dos produtos fabricados no país sejam concebidos em outros lugares.

Em segundo e terceiro lugar na lista da Unctad vêm Estados Unidos e Alemanha.

Os países emergentes ou em desenvolvimento ainda seriam minoria na lista dos 20 maiores exportadores e importadores da Unctad, embora tenham registrado um crescimento do volume de comércio do setor mais acelerado.

Entre 2002 e 2011 as importações e exportações de bens e serviços "criativos" teriam crescido 12,1% em países em desenvolvimento e 8,8% na média global.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.