BBC navigation

Vilarejo francês milionário pede ideias para gastar dinheiro

Atualizado em  30 de abril, 2013 - 10:03 (Brasília) 13:03 GMT
Arfons | Foto: Prefeitura de Arfons

Prefeito decidiu consultar população sobre o que fazer com excesso de orçamento

Neste período de crise na Europa, em que governos municipais também são obrigados a cortar despesas, um vilarejo francês ficou "milionário” e não sabe mais onde gastar seu orçamento, quintuplicado em apenas três anos graças a um parque eólico instalado em sua área.

O orçamento anual de Arfons – pequeno vilarejo com somente 182 habitantes, situado no sudoeste da França e distante 60 quilômetros de Toulouse – passou de 400 mil euros (cerca de R$ 1,04 milhão) em 2009 para 2,3 milhões de euros (cerca de R$ 6,02 milhões) atualmente, disse o prefeito, Alain Couzinié, à BBC Brasil.

O aumento considerável da receita é decorrente dos impostos pagos pela empresa que administra o parque eólico instalado no vilarejo.

Com os novos recursos, o prefeito já renovou o salão de festas da cidade, comprou um ônibus escolar e terrenos para ampliar o cemitério. Também lançou projetos de renovação do sistema de esgoto e de água, que estão em fase avançada.

Novos armazéns para guardar equipamentos recentemente comprados, como tratores e máquinas para retirar neve, também foram adquiridos pelo governo municipal.

Consulta popular

Sem saber onde mais gastar o dinheiro sobrando, o prefeito de Arfons decidiu realizar uma consulta popular, e cerca de três semanas atrás, os moradores apresentaram em uma reunião pública suas ideias de melhorias para a cidade.

Arfons | Foto: Prefeitura de Arfons

Instalação de parque eólico fez orçamento de pequeno vilarejo no sudoeste da França quintuplicar

"No início, achei que as propostas seriam para fazer obras importantes, como construir uma piscina municipal ou um estádio”, disse o prefeito à BBC Brasil.

Mas os habitantes foram bem mais modestos e sugeriram apenas melhorias simples no cotidiano. A lista de sugestões inclui, por exemplo, programas de limpeza de excrementos de pombos ou para acolher gatos de rua e lutar contra vespas.

Embelezar a cidade com flores, instalar bancos públicos e um quebra-molas na estrada na entrada do vilarejo ou ainda renovar a antiga cabine telefônica feita de madeira também são algumas das ideias dos moradores para gastar o excedente orçamentário.

Bar

"No começo, fiquei decepcionado. Mas, depois, vi que são essas pequenas coisas que fazem a qualidade de vida dos moradores e são importantes para eles”, disse o prefeito à BBC Brasil.

Uma das principais reivindicações dos habitantes de Arfons foi a reabertura do único café do vilarejo.

"No começo, fui contrário à ideia porque não cabe a uma prefeitura administrar um bar, mas depois entendi que o lugar é importante para criar relações sociais”, diz Couzinié.

A prefeitura comprou os dois prédios onde funcionava o bar que, no passado, havia sido um hotel-restaurante e vai renová-los. O investimento total é de um milhão de euros, segundo o prefeito.

Couzinié conta que, primeiro, será reaberto o café, que poderá também ter uma clientela turística, já que Arfons se situa na área da Montanha Negra, que atrai muitas pessoas que fazem caminhadas na natureza.

"Depois, vamos abrir o restaurante e alguns comércios no local, como padaria e lojas de alimentos, que não existem mais em Arfons. Em uma terceira etapa, vamos criar alguns quartos para hospedagem”, disse o prefeito à BBC Brasil.

Existência e estilo

Arfons não possui nem mais padaria, algo incomum na França. É um funcionário municipal que compra pães todas as manhãs em outra cidade e os vende em um local do vilarejo.

O supermercado mais perto fica a 12 quilômetros. A compra do antigo bar e a reabertura de mercearias no prédio deverá dinamizar o comércio local e garantir a existência do vilarejo, evitando o exôdo da população mais jovem.

"O projeto principal, graças ao superávit orçamentário, é evitar que Arfons desapareça”, diz o prefeito.

"A população envelhece e esperamos manter os jovens casais com esses novos serviços na cidade”, afirma Couzinié, lembrando que, em meados do século 19, Arfons tinha 1,5 mil habitantes.

O prefeito ressalta que não fará "nenhum projeto megalomaníaco” e conta que vem recebendo inúmeras propostas empresariais oferecendo ideias para ele gastar seu orçamento.

"Queremos manter o estilo do vilarejo, com seus telhados em ardósia”, diz Couzinié.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.