Artista retrata boxe e pobreza dos EUA no século 20

  • 21 março 2013

Lutas e miséria

O artista plástico americano George Bellows, um dos grandes pintores realistas do século 20, ganhou uma retrospectiva na Royal Academy of Arts, em Londres.

Bellows gostava de retratar a violência dos clubes "particulares" (na verdade clandestinos) de boxe de Nova York. Além das lutas clandestinas, Bellows também pintou eventos oficiais, como a primeira grande luta no Madison Square Garden, de Nova York, em 1916 - que pode ser assistida por mulheres.

O artista também tentou capturar a vida dos pobres, como no quadro 42 garotos, de 1907, que mostra filhos de imigrantes brincando em uma das docas decadentes do East River e nadando nas águas poluídas do rio.

Bellows fazia retratos, uma modalidade geralmente dedicada à alta sociedade, para mostrar cenas mais íntimas de pessoas comuns, encontradas nas ruas perto de seu estúdio.

Mais tarde, o artista retratou Jack Johnson, o primeiro negro campeão dos pesos-pesados dos Estados Unidos, em sua vitória contra James J. Jeffries, no quadro A Esperança Branca, de 1921.

Na década de 20, o boxe já tinha se transformado em um espetáculo e Bellows, na época, usava muitas cores para mostrar a atmosfera nestas lutas comerciais.

Quando Bellows morreu em 1925, aos 42 anos, ele era considerado um dos maiores artistas dos Estados Unidos. A exposição em Londres mostra mais de 70 obras e ficará em cartaz até 9 de junho.