BBC navigation

Apesar de PIB baixo, economia têm 'nítida recuperação', diz Mantega

Atualizado em  1 de março, 2013 - 14:18 (Brasília) 17:18 GMT
Guido Mantega | Foto: Reuters

Mantega diz que sinais de recuperação do último trimestre de 2012 se mantém

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta sexta-feira que, apesar do crescimento de apenas 0,9% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro em 2012, a economia já apresenta sinais de melhora.

Segundo Mantega, dados de janeiro mostram que a aceleração verificada no último trimestre de 2012, quando a economia cresceu 0,6%, se mantém.

"Embora o resultado tenha ficado abaixo das expectativas, observamos que houve uma recuperação da atividade econômica ao longo do ano. Uma nítida recuperação", afirmou o ministro.

O crescimento de 0,9% da economia em 2012, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi o menor índice desde 2009 e inferior à média do crescimento de países desenvolvidos (1,3%), que têm sido mais afetados pela crise econômica mundial.

Emprego e salário

Segundo Mantega, porém, o mau desempenho da economia não afetou as famílias brasileiras. "Tivemos um excelente resultado em emprego, a massa salarial cresceu 6%, o que não é pouca coisa, e o aumento real de renda da população foi de 4%."

O ministro atribuiu o desempenho da economia à crise econômica mundial e disse que algumas das principais políticas econômicas adotadas pelo governo Dilma Rousseff – como a desoneração da folha de pagamentos para setores da indústria, a redução da taxa básica de juros e o barateamento da energia elétrica – levam tempo para surtir efeitos.

Segundo ele, há boas perspectivas para a economia nacional nos próximos anos, "levando em consideração que a crise está arrefecendo".

Mantega disse ainda que a baixa taxa de investimento do país – que caiu 4% em 2012 e é um dos maiores obstáculos à expansão do PIB – crescerá à medida que os programas do governo para a consessão de estradas, portos e aeroportos sai do papel.

Em nota sobre o anúncio do IBGE, o Banco Central também ressaltou a melhora dos indicadores no quarto trimestre, "bem como a tendência de que (os investimentos) sejam impulsionados pelos estímulos introduzidos na economia e pelas perspectivas de que o ritmo de crescimento em 2013 será bem superior ao observado em 2012".

Segundo o órgão, os dados indicam que a economia está em fase de "gradual recuperação".

"Os sólidos fundamentos e um mercado interno robusto constituem um diferencial da economia brasileira, de modo que, mesmo diante de um ainda complexo ambiente internacional, o atual ciclo de crescimento tende a continuar nos próximos anos", diz o banco.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.