Pássaro gigante pré-histórico era 'dócil herbívoro', diz estudo

Atualizado em  24 de novembro, 2012 - 09:47 (Brasília) 11:47 GMT
Foto: Dave Tucker

A pegada do pássaro não revela a presença de garras

Um estudo realizado por cientistas americanos indica que o Diatryma, um pássaro gigante pré-histórico que viveu no período eocênico não era um carnívoro feroz, mas sim um herbívoro muito dócil.

Os indícios foram trazidos à tona após um deslizamento de terra ocorrido em 2009 e desfizeram as crenças de que o animal era um predador, já que as pegadas encontradas não continham garras, elemento próprio dos carnívoros.

Com 2,13 metros de altura e com cabeça e bico gigantes, o enorme pássaro, que não conseguia voar, vinha sendo retratado como um predador ameaçador tanto em trabalhos científicos quanto na mídia.

Até então o Diatryma (cujo gênero acredita-se ser o Gastornis) era considerado "o pássaro que substituiu os dinossauros como o maior predador", disse o geólogo George Mustoe, da Universidade de Washington, que integra a equipe responsável pela pesquisa.

"Sejamos honestos: carnívoros assustadores e ameaçadores atraem muito mais atenção do que dóceis herbívoros".

Pegadas

O estudo foi publicado na revista científica Palentology e analisou pegadas de cerca de 55,8 a 48,6 milhões de anos, no período eocênico.

Acredita-se que estas sejam as únicas pegadas deixadas pelo pássaro gigante.

"[As pegadas] mostram claramente que os animais não tinham grandes garras, mas sim pequenas unhas. Isto é um indício contra um animal que captura presas com suas garras. Todos os pássaros carnívoros têm garras longas e afiadas", diz David Tucker, um dos cientistas que participaram do estudo.

Até então os paleontólogos que estudavam fósseis do Diatryma tinham concluído que o pássaro gigante era um predador devido ao seu tamanho, cabeça enorme e bico muito grande.

No entanto, sempre se soube que o animal tinha pernas relativamente curtas, o que indicava que ele talvez não tivesse a capacidade de correr rápido o suficiente para capturar suas presas.

A equipe acredita que as similaridades entre o Diatryma e os Phorusracids, ou "pássaros do terror", da América do Sul, levaram paleontólogos a concluir que os dois tinham dietas semelhantes.

De acordo com o estudo, "a crença comum de que o Diatryma também era um carnívoro é muito mais um resultado de associação do que de verdadeiras evidências anatômicas".

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.