Inquérito apura conduta da BBC em caso de apresentador suspeito de abuso sexual

Atualizado em  29 de outubro, 2012 - 11:21 (Brasília) 13:21 GMT
Jimmy Savile, em foto de 1964 (Getty)

Há cerca de 300 denúncias de abuso recaindo sobre Savile, morto em 2011

A BBC instaurou nesta segunda-feira um inquérito para apurar a cultura interna da empresa durante as décadas em que, segundo denúncias, foram cometidos abusos sexuais pelo ex-apresentador Jimmy Savile.

A investigação independente será liderada pela ex-juíza Janet Smith.

Este é o segundo inquérito instaurado pela empresa desde que o caso veio à tona. Uma outra investigação interna, liderada por um ex-executivo da empresa rival Sky News, vai investigar por que um dos programas da BBC - o Newsnight - desistiu de veicular uma reportagem em que supostas vítimas de Savile relatavam os abusos sofridos.

Ao mesmo tempo, a polícia também está fazendo uma investigação criminal sobre as acusações de que Savile teria abusado de 300 jovens ao longo de cerca de 40 anos.

Savile, morto em outubro do ano passado aos 84 anos, foi DJ de rádio e se tornou uma lenda da TV britânica por ter apresentado populares atrações como o programa Jim'll Fix It e o programa de sucessos musicais Top of The Pops, da BBC.

Em seu inquérito sobre a BBC, Janet Smith vai apurar as denúncias de que Savile teria cometido parte dos abusos de que é suspeito dentro das instalações da emissora. Ela também ouvirá depoimentos de pessoas que dizem ter alertado sobre alguns casos envolvendo Savile, formal ou informalmente.

A ex-juíza tem ainda que investigar "até que ponto a equipe da BBC estava ou deveria estar informada a respeito de condutas impróprias de Savile nas instalações da emissora ou em gravações externas para a emissora".

Newsnight

No inquérito liderado pelo ex-executivo da Sky NEws Nick Pollard, estão sendo investigadas as razões por trás do engavetamento de uma edição do programa Newsnight, da BBC, que no ano passado planejava exibir algumas das suspeitas sobre Jimmy Savile.

O editor do Newsnight, Peter Rippon (no momento afastado até o fim do inquérito), disse que a decisão de não levar o programa ao ar foi tomada por razões editoriais, afirmando que faltavam elementos que dessem força à denúncia. Ele negou ter sofrido pressão de superiores para abandonar a investigação.

Outra emissora britânica, a ITV, exibiu um documentário no início deste mês, exibindo denúncias de abusos que teriam sido praticados por Savile. Desde então, centenas de outras suspeitas vieram à tona.

O sobrinho de Savile, Roger Foster, disse que inicialmente não acreditou nas acusações contra seu tio, mas que, diante de tantas denúncias, ele está "convencido de que a maioria delas é verdadeira".

Foster declarou à BBC que não consegue entender como seu tio, que dedicava parte tão grande de seu tempo a causas de caridade, "podia ter um lado tão escuro".

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.