Brasil pode atuar mais no câmbio e aumentar IOF, diz Mantega

Atualizado em  21 de setembro, 2012 - 11:24 (Brasília) 14:24 GMT
Guido Mantega, ministro da Fazenda do Brasil.

Mantega classificou como absurdas as críticas de 'protecionismo', vindas do Brasil.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reafirmou nesta sexta-feira, em Londres, sua preocupação com as medidas americanas para aumentar a quantidade dólares no mercado, o chamado "quantitative easing".

Após palestra organizada pela revista The Economist, na capital britânica, Mantega disse que, se necessário, o governo pode atuar no mercado de câmbio e aumentar o imposto sobre operações financeiras (IOF).

Mantega argumentou que a medida americana pode aumentar a entrada no país de capitais especulativos, que buscam rendimentos fáceis, mas não contribuem para a geração de renda e emprego no Brasil.

"Se houver capitais desta natureza (especulativos), nós teremos que comprá-los", afirmou o ministro. "Vamos aumentar as nossas reservas, ou vamos fazer operações no mercado de derivativos, compras no mercado futuro. Se não for suficiente, tomaremos medidas de taxação de IOF, como já fizemos no passado."

O anúncio do governo dos Estados Unidos de aumentar a quantidade de dólar em circulação na economia mundial gerou preocupação no governo brasileiro, principalmente pelo fato de a medida não ter prazo para terminar.

"É uma maneira de fazer protecionismo, porque ela desvaloriza a moeda local", disse Mantega. "Reduz o valor do dólar e um dos objetivos disso é poder aumentar as exportações americanas."

Protecionismo

Mantega classificou como "absurdas" às críticas feitas na quinta-feira pelos Estados Unidos a medidas comerciais brasileiras, descritas pelos americanos como "protecionistas".

O governo anunciou neste mês a elevação – de, em média, 12% para 25% – das tarifas pagas sobre cem produtos importados para que entrem no Brasil. O aumento será aplicado no fim de setembro, e outra lista de produtos está sendo preparada para outubro.

Os aumentos ficaram abaixo do teto de 35% estabelecido pela Organização Mundial do Comércio (OMC). "Os Estados Unidos estão tomando muito mais medidas protecionistas do que o Brasil", reagiu Mantega.

Nesta sexta-feira, o ministro da Fazenda se reuniu por 30 minutos com o responsável pela pasta econômica britânica, George Osborne.

Eles discutiram formas de aumentar o comércio bilateral entre os países, que atualmente está em US$ 8,5 bilhões. Mantega chamou o volume de trocas entre os países de "ridículo".

O ministro sinalizou que existe espaço para o Brasil aumentar a exportação de manufaturados e bens para a Inglaterra e acrescentou que também seria possível incrementar a importação da Grã-Bretanha de serviços e bens, principalmente na área de petróleo.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.