Em meio à polêmica crescente, Pistorius e Fonteles voltam a se enfrentar

Atualizado em  6 de setembro, 2012 - 12:18 (Brasília) 15:18 GMT
Pistorius vence Fonteles

Pistorius conseguiu vencer Fonteles e demais brasileiros no revezamento

O paratleta Alan Fonteles volta às pistas nesta quinta-feira nos Jogos Paraolímpicos de Londres para mais uma disputa contra o sul-africano Oscar Pistorius, atleta que acusa o brasileiro de se beneficiar de próteses maiores para melhorar seu desempenho esportivo.

Fonteles compete com o sul-africano em todas as provas das Paraolimpíadas de Londres em que está inscrito.

A polêmica em torno das próteses usadas pelos paratletas – que começou após reclamações de Pistorius sobre Fonteles – ganhou nova projeção na última quarta-feira, depois que a delegação sul-africana enviou uma carta ao Comitê Paralímpico Internacional (CPI).

A equipe da África do Sul pede uma investigação urgente sobre o tema, alegando – sem citar nomes – que alguns paratletas estão trapaceando ao trocar suas próteses após a inspeção oficial - feita antes de cada corrida - por equipamentos maiores, configurando um descumprimento das regras dos Jogos.

Um porta-voz do CPI disse que ouviu técnicos das demais delegações e que, por ora, não há indícios de que isso esteja acontecendo.

A entidade afirmou que uma mudança deste tipo obrigaria atletas a adaptarem rapidamente seus estilos de corrida, o que seria praticamente inviável devido ao pouco tempo de preparação.

Nesta quinta, às 17h20 (horário de Brasília), Fonteles volta a enfrentar Pistorius no Estádio Olímpico de Londres, na final dos 100m na categoria de deficiência T44.

O sul-africano classificou-se para a final com um tempo de 11s04 – 19 décimos melhor do que o do brasileiro.

No entanto, o grande favorito na prova é o britânico Jonnie Peacock.

Na última quarta-feira, o sul-africano – que é considerado um dos maiores paratletas de todos os tempos e que disputou também as Olimpíadas – conquistou ouro com uma vitória sobre Alan Fonteles e a equipe brasileira no revezamento 4x100m.

O time brasileiro, que reúne Emicarlo Souza, Yohansson Nascimento e Antonio Souza, terminou na segunda posição, mas foi desclassificado por passar o bastão fora do trecho permitido.

Na noite de sexta-feira, o brasileiro e o sul-africano voltarão às pistas para a classificatória dos 400m da T44, cuja final será disputada na noite de sábado.

Desculpas

A polêmica começou no último domingo quando Pistorius disse que Fonteles havia obtido uma vantagem na final dos 200m da T44 devido à prótese que usara.

Após uma largada ruim, Fonteles ultrapassou Pistorius com uma recuperação incrível nos últimos metros da prova e conquistou a medalha de ouro.

"Não foi uma corrida justa. Vendo o replay, não entendo como é possível avançar, estando oito metros para trás, nos 100 metros (finais), para depois vencer. É absolutamente ridículo", disse o sul-africano após a prova.

No dia seguinte, ele se desculpou pelas declarações e disse que sua intenção não foi tirar o brilho da medalha de ouro do brasileiro.

Ainda assim, Pistorius manteve suas acusações de que as próteses maiores dão vantagens aos rivais.

Fonteles alega que usou equipamentos permitidos pelo regulamento das Paraolimpíadas. Especialistas disseram que tanto o brasileiro quanto Pistorius poderiam – pelo regulamento – usar próteses ainda maiores para competir.

O brasileiro afirmou ter ficado chateado com as declarações do sul-africano, quem considera um grande ídolo.

A discussão levantada por Pistorius sobre as vantagens obtidas pelo tamanho das próteses acabou se tornando a maior polêmica das Paraolimpíadas.

O sul-africano ganhou fama não só por suas diversas conquistas em provas paraolímpicas, mas também por ter sido o primeiro atleta paraolímpico a competir nos Jogos de Londres 2012.

Para conquistar tal direito, ele precisou comprovar que suas próteses não lhe conferiam vantagem em relação aos demais atletas.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.