BBC navigation

Atividade empresarial na Europa atinge nível mais baixo em quase três anos

Atualizado em  24 de maio, 2012 - 11:07 (Brasília) 14:07 GMT
Foto de arquivo mostra fábrica na Alemanha (Foto: AP)

Pesquisa com gerentes de compras de serviços e fábricas mostra redução na atividade

A atividade nas empresas europeias chegou em maio ao nível mais baixo em quase três anos, segundo levantamento da empresa de pesquisas financeiras Markit.

O índice medido, chamado Eurozone PMI Composite Index, é baseado em uma pesquisa com gerentes de compras nos setores de serviços e manufatureiros. Foi de 45,9, contra 46,7 no mesmo período do mês anterior e o nível mais baixo em 35 meses.

Ao mesmo tempo, o euro caiu para 1,2515 em relação ao dólar, nível mais baixo nos últimos 22 meses.

Uma conferência de líderes europeus, na noite da última quarta-feira, não teve sucesso em injetar confiança no mercado, já que os líderes dos países do continente mantêm as divergências sobre como enfrentar a crise econômica continental.

O presidente francês, François Hollande, defendeu o uso de títulos pan-europeus de dívida, que permitiriam que nações endividadas conseguissem levantar dinheiro no mercado a taxas de juros bem mais baixas.

Mas a Alemanha diz que se oporá à ideia até que haja mais disciplina orçamentária entre os países europeus, ou seja, até que haja garantias que os governos não vão gastar mais do que arrecadam e depois recorrer a empréstimos a juros baixos.

Grécia

A situação da Grécia também foi discutida na reunião de quarta-feira.

Líderes europeus pedem que Atenas permaneça na zona do euro, ao mesmo tempo em que o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, pede que o país endividado "respeite seus compromissos". É uma referência à rejeição, de parte de alguns líderes gregos e da opinião pública, de que os termos dos pacotes de resgate financeiro imposto à Grécia pela Europa são duros demais para serem cumpridos.

Índices econômicos divulgados nesta quinta-feira indicam crescentes preocupações com as perspectivas de que a crise grega tenha um impacto mais amplo.

O economista-chefe da Markit, Chris Williamson, disse que os levantamentos de sua empresa apontam que o declínio econômico europeu "ganhou força em maio".

"A pesquisa (de compras nos setores de serviços e manufatureiros) é consistente com uma queda de ao menos 0,5% no PIB regional no segundo trimestre, à medida em que a retração na periferia (da zona do euro) contagia tanto a França como a Alemanha", afirmou.

Segundo o levantamento da Markit, as atividades nas fábricas alemãs e francesas estão em seu nível mais baixo em quase três anos.

"Os dados são péssimos e oferecem um aviso claro de que o PIB da zona do euro quase certamente se contrairá no segundo trimestre, após estagnar no primeiro", afirmou Martin Van Vliet, do banco ING.

Um segundo relatório, do think tank alemão Ifo a partir de pesquisas com 7 mil executivos, mostrou que a confiança dos empresários alemães caiu fortemente em maio.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.