Titanic: o naufrágio, passo a passo

Atualizado em  11 de abril, 2012 - 03:15 (Brasília) 06:15 GMT

Titanic: Viagem ao fundo do mar

  • 600 m
  • 14/04/1912 23h40* - O Titanic colide com um iceberg

    Minutos após a colisão, milhares de toneladas de água tomam o interior do navio. O arquiteto responsável pela construção da embarcação, Thomas Andrews, inspeciona os danos e determina que cinco dos 16 compartimentos herméticos estão sendo inundados e que o Titanic afundará.

  • 15/04/2012 0h30 - Os botes salva-vidas são baixados

    O capitão Edward J. Smith dá instruções sobre o lançamento dos salva-vidas ao mar. Às 0h40, o primeiro é lançado, com prioridade para mulheres e crianças. Embora houvesse o suficiente para mais de mil pessoas, muitos são lançados com apenas metade da capacidade de passageiros.

  • 2h10 - As luzes do navio são apagadas

    A proa do Titanic está completamente submersa e a popa começa a se levantar para fora d'água. Dezoito dos 20 botes salva-vidas foram lançados e as luzes do navio se apagam por completo.

  • 2h17 - O Titanic se parte em dois.

    A popa continua subindo para fora d'água, revelando os três gigantescos motores a hélice do navio. O casco não pode suportar a pressão e se quebra exatamente entre a terceira e a quarta chaminés.

  • 2h19 - A proa começa a afundar.

    A proa desaparece sob as ondas e começa a afundar vertiginosamente. A popa permanece na superfície, mas rapidamente começa a afundar, conforme a água invade as salas das máquinas.

  • 2h20 - A popa afunda de uma só vez em um rápido movimento.

    A popa se enche d'água e conforme afunda espalha a carga do navio. Ganhando velocidade em pouco tempo, vai a pique em um movimento certeiro.

  • 2h22 - A proa chega ao leito do oceano

    A proa desliza até o fundo do oceano, atingindo velocidades entre 40 e 64 km/h. Minutos depois, ao chegar ao leito do mar, o casco se curva com o impacto.

  • 2h24 - Os destroços se assentam no leito do oceano

    A popa atinge a velocidade de 96km/h, batendo contra o fundo mar com as hélices a cerca de 600 metros da proa. O casco se curva e racha em diversos pontos e os decks caem uns sobre os outros.

Os destroços permanecem no fundo do Atlântico, onde se desintegram a uma profundidade de 4 mil metros.

Escala de profundidade

40-50 m - Limite para os mergulhadores
1.000 m
Profundidade máxima em que penetra a luz do sol
2.000 m
2.438 m
Profundidade em que operava a plataforma Deepwater Horizon
3.000 m
3.800 m   Leito do mar
* Todos os horários são em relação à posição do navio no momento do acidente (GMT-3).
Pintura: Ken Marchsall

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.