Americano ganha mandíbula, dentes e língua em transplante de face

Atualizado em  28 de março, 2012 - 05:06 (Brasília) 08:06 GMT
Richard Norris, antes e depois do transplante (AFP)

Richard Norris passou pelo transplante facial mais amplo já feito

Médicos dos Estados Unidos realizaram o mais extenso transplante facial de que se tem notícia, dando ao paciente uma nova face com mandíbula, dentes e língua novos.

Os detalhes foram divulgados na última terça-feira pela Universidade de Maryland, onde a operação foi realizada.

Richard Lee Norris, o paciente de 37 anos, vivia em reclusão após ter sido severamente ferido por um acidente com uma arma de fogo em 1997, segundo a universidade. Até o transplante, ele só saía à rua usando máscara.

Ele havia perdido seus lábios e seu nariz no acidente e tinha movimentos limitados na boca.

A cirurgia durou 36 horas, entre 19 e 20 de março, mas é parte de uma série de transplantes que, em 72 horas, usaram órgãos de um doador em cinco pacientes, incluindo Norris.

O procedimento foi financiado pela Marinha norte-americana, que tem a expectativa de que as técnicas possam ser usadas para tratar soldados feridos no Iraque e no Afeganistão.

O governo dos EUA estima que mais de 200 militares feridos em guerra possam necessitar de transplantes faciais.

Volta à vida

Eduardo Rodríguez, chefe de cirurgia plástica reconstrutiva do centro de traumas do hospital da Universidade de Maryland, disse esperar que seu paciente possa agora voltar a viver normalmente.

"Nosso objetivo é restaurar as funções (motoras) e ter resultados estéticos satisfatórios", declarou.

A equipe de Rodríguez relata que agora Richard Lee Norris é capaz de escovar seus dentes e se barbear. Também recuperou sua habilidade de identificar cheiros.

Segundo a universidade, a cirurgia de Norris era discutida desde 2005, quando a França realizou o primeiro transplante facial da história, em uma mulher que havia sido atacada por um cachorro.

Em 2010, cirurgiões espanhóis realizaram o primeiro transplante facial completo.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.