BBC navigation

Dilma viaja a Nova York para Assembleia Geral da ONU

Atualizado em  17 de setembro, 2011 - 18:32 (Brasília) 21:32 GMT
Dilma Rousseff. Foto: Reuters

Presidente será primeira mulher a discursar na abertura da Assembleia Geral

A presidente Dilma Rousseff chega neste domingo a Nova York, onde se reunirá com vários chefes de Estado e discursará na abertura da 66ª Assembleia Geral da ONU, na quarta-feira - a primeira vez que uma mulher proferirá o discurso de abertura do evento, tradicionalmente a cargo do Brasil.

Antes disso, na terça-feira, Dilma se reunirá com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para dar continuidade às conversas iniciadas em março, quando o americano visitou o Brasil.

Após o encontro, a presidente participará do lançamento da Parceria para a Transparência Governamental, que engloba 60 países que se dispõem a adotar medidas em favor da transparência e de apoio mútuo contra a corrupção.

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Rodrigo Baena, a próxima reunião do grupo deve ocorrer no Brasil, em 2012.

No mesmo dia, Dilma receberá o prêmio Woodrow Wilson para Serviços Públicos, concedido pelo instituto Woodrow Wilson International Center for Scholars.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a médica e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns (morta em 2010), já receberam a mesma premiação.

Um dia antes, a presidente participará de encontros sobre doenças crônicas e não-transmissíveis e será coanfitriã de um colóquio sobre a participação política de mulheres.

Segurança nuclear

Na quinta-feira, após discursar na abertura da Assembleia Geral, a presidente integrará uma reunião sobre segurança nuclear.

A reunião tratará das perspectivas da energia nuclear após o acidente no Japão, em março, quando um terremoto e um tsunami causaram vazamentos radioativos na usina de Fukushima.

O objetivo do encontro, segundo o porta-voz da Presidência, é desenvolver mecanismos de uso e exploração da energia nuclear com segurança.

Ainda no dia 22, a presidente participará de reunião no Conselho de Segurança da ONU sobre diplomacia preventiva, um dos principais temas desta edição da Assembleia Geral.

Chefes de Estado

Além das reuniões conjuntas e do encontro com Obama, Dilma deve ter conversas reservadas com os presidentes da França, Nicolas Sarkozy, com o premiê britânico, David Cameron, e com o presidente do México, Felipe Calderón.

Nos encontros, ela deve tratar de temas da agenda bilateral com esses países, além de assuntos globais.

É possível ainda que ela se encontre com outros mandatários durante sua estadia em Nova York, como o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan.

Dilma e embarca de volta ao Brasil na quinta-feira à noite.

Ao menos seis ministros a acompanharão na viagem: Antônio Patriota (Relações Exteriores), Alexandre Padilha (Saúde), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Orlando Silva (Esportes), Helena Chagas (Comunicação Social) e Maria do Rosário (Direitos Humanos).

Paralelamente aos encontros da presidente, Patriota deve se reunir com os chanceleres de vários países e participar de reuniões ministeriais do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e do G-4 (grupo formado por Alemanha, Brasil, Índia e Japão, países que se apoiam mutuamente para obter assentos permanentes no Conselho de Segurança da ONU).

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.