BBC navigation

EUA retiram milhões antes da passagem do furacão

Atualizado em  27 de agosto, 2011 - 21:54 (Brasília) 00:54 GMT
AP

O furacão Irene chegou na Carolina do Norte neste sábado

Mais de dois milhões de pessoas na costa leste dos Estados Unidos receberam ordens de deixar suas casas antes da passagem do furacão Irene neste final de semana.

O furacão já causou pelo menos sete mortes na Carolina do Norte, Virgínia e Flórida, além de causar enchentes e danos materiais.

A tormenta de mais de 700 km de largura avança lentamente com ventos de 129 km/h para Nova York e outras grandes cidades.

Calcula-se que o furacão castigue a costa leste americana por cerca de 36 horas.

O governador de Nova Jérsei, Chris Christie, anunciou na tarde de sábado que mais de “um milhão de pessoas deixou a costa” do Estado nas últimas 24 horas.

EUA se preparam para furacão 'histórico'

Irene, que já causou destruição no Caribe, pode atingir cidades como Nova York e Washington; milhares de pessoas já foram evacuadas.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Em Nova York, 300 mil habitantes de áreas baixas receberam ordens de deixar suas residências, mas o prefeito da cidade, Michael Bloomberg, disse que apenas 1,4 mil pessoas procuraram os abrigos de emergência e um número desconhecido procurou refúgio com familiares.

“Esta será uma tempestade muito séria, independente de seu trajeto, não importa o quanto perca a força. Esta é uma tempestade que traz risco de morte”, disse ele.

“Ficar é perigoso, tolo e ilegal”, completou.

O Irene deve atingir Nova York na madrugada do domingo.

Estoques

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos rebaixou o furacão Irene de categoria dois para categoria um, mas a previsão é de que continue na categoria de furacão enquanto se move para o norte no domingo.

O presidente Americano, Barack Obama, que interrompeu suas férias para supervisionar os preparativos para a passagem do furacão, teve reuniões de emergência neste sábado.

Ele havia dito antes que o Irene seria um “furacão histórico” e todos deveriam se precaver seriamente.

Mais de 600 mil pessoas estão sem eletricidade na Carolina do Norte e na vizinha Virgínia.

A meteorologia diz que em partes da Carolina do Norte os ventos podem gerar ondas de mais de 3 metros de altura.

Moradores estocaram comida, água e combustível.

“Você não pode fazer nada além de esperar. É terrível ouvir o vento”, disse um morador ouvido pela agência Associated Press.

Nova York

Irene atinge Carolina do Norte (AP)

Sete Estados americanos declararam emergência devido ao Irene

Em Nova York, o sistema de transporte, inclusive aeroportos, começou a ser paralisado ao meio-dia. Hospitais em áreas afetadas retiraram seus pacientes.

Entre as partes afetadas da cidade de Nova York estão a região financeira de Wall Street, em Manhattan.

Sete Estados americanos, da Carolina do Norte até Connecticut, declararam estado de emergência por causa do Irene. Dezenas de milhares de pessoas estão fugindo também em partes de Delaware, Maryland, Nova Jersey, depois da divulgação de ordens de evacuação para todos os que vivem nas áreas mais baixas.

O Irene é o primeiro furacão a atingir o Atlântico nesta temporada. Calcula-se que 65 milhões de pessoas possam ser atingidas em grandes cidades da costa leste americana.

A Cruz Vermelha anunciou que está preparando dezenas de abrigos de emergência na região.

A Amtrak, a rede ferroviária dos Estados Unidos, anunciou que está cancelando seus serviços entre Washington e Boston a partir destes sábado. A companhia também já tinha suspendido operações ao sul do Estado da Virgínia.

O Pentágono carregou 200 caminhões com suprimentos de emergência e 100 mil soldados da Guarda Nacional estão de prontidão.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.